sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

UM NATAL SEM TRENÓ E SEM PRESENTES


O Natal comemorado pelos ocidentais a cada dia se dilui em festa, comilança e bebedeira. Há muito tempo nosso ocidente não sabe de fato o que o Natal representa para o mundo cristão. Com a ascensão da globalização e do consumismo, até mesmo as igrejas mais históricas e tradicionais tem se permitido envolver-se pelos devaneios e paixões do nosso século. 

O oriente não tem sido tão afetado como o ocidente. Em muitas regiões no Leste Europeu, não há nenhuma celebração a não ser a religiosa dentro do calendário cristão. Lá o Natal não é comemorado no dia 25 de dezembro e sim em 6 de janeiro. Não há a figura entorpecente do Papai Noel, o bom velhinho. Não há roupas vermelhas sendo vendidas nas lojas. O Leste europeu, devido a posição da igreja oriental, tem pelo menos se protegido deste insano natal ocidental. Ainda quero ver um Natal celebrado com a consciência cristã verdadeira, sem troca de presentes, sem que as pessoas se juntem para a glutonaria e a bebedice. 

O mundo que somente conhece o natal da Coca-cola e dos Estados Unidos, vai continuar a celebrar com muita farra e devassidão. Mas você pode fazer diferente. Estar junto a sua família da fé é a primeira atitude que temos de um verdadeiro Natal. O Natal celebrado conscientemente é aquele onde louvamos a Deus, agradecemos a Ele por tão grande milagre. O milagre da encarnação. Quando Deus desceu, ele se fez gente como nós. O universo que jamais pode conter o Deus infinito, misteriosamente agora recebe o Deus-menino, nascendo de uma mulher, vivendo como nós, aprendendo a ser humano. 

Qual será sua consciência neste Natal? Ademais de toda crise política e econômica, nós não precisamos depender dela para que nosso Natal faça sentido. Sem presentes, sem trenó, sem shoppings, sem farra. O Natal é de Cristo, não é meramente um “Feliz natal” mas um Natal celebrado com a oração, com o cântico de Maria, envolvido pela mensagem da Palavra de Deus. 

Natal se faz presente quando somos chocados pela mensagem que Deus se fez homem para pagar o preço mais alto de nossa vida. Ele nasceu já com uma sentença de morte: a cruz. Mas ela nunca foi considerada o seu propósito final. A cruz e sua morte capital, trouxe a ressurreição e a Nova Era que Cristo veio inaugurar. Sem Natal não há cruz, não ressurreição, logicamente não há esperança, não há eternidade e não há vida. 

Veja que coisa trágica. Milhares de pessoas hoje comemoram um natal sem esperança. A esperança que todos falam, é uma esperança vazia, etérea, sem perspectivas futuras. Natal para milhares é apenas uma “vida boa” enquanto se vive. O Natal de Cristo vai além, extrapola a insanidade dos filósofos ateus e agnósticos. O Natal de Cristo é o âmago da fé cristã. Portanto, celebremos a Cristo, sua encarnação, nascimento, vida e ressurreição e esperemos aquele grande Dia, quando após voltar segunda vez, encarnado e ressuscitado em corpo para que cada um tenha a graça de vê-lo como nós somos, porque seremos, como Ele de fato é. 

Feliz Natal de Cristo, Rev. Luiz Augusto

Nenhum comentário: