sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

O MELHOR VIRÁ? NÃO, O MELHOR JÁ VEIO!



O mês de dezembro se reveste de um sentimento especial. É o período onde a Cristandade celebra com alegria a “encarnação de Deus”. O grande evento que marcou a humanidade foi quando o Deus Todo-Poderoso, pisou em nosso chão. Uma célebre frase nos chama a atenção: “Quando Cristo se encarnou, Deus foi passo-a- passo aprendendo a ser gente”. 

Esta frase é correta, embora estranha. Muito mais estranho e misterioso foi a encarnação. Impossível aos homens de se salvarem, Deus em sua soberania, desde os tempos eternos decidiu resgatar os homens, fazendo-se homem e cumprindo as exigências do primeiro pacto, o "Pacto das Obras". Nada é mais provocativo que pensar e admitir que Deus tornou-se humano. 

Nenhuma religião em todos os tempos admitiu e afirmou a humanidade de Deus. Nenhuma crença por melhor que seja chegou a confessar que Deus veio em carne. Essa é a primeira e grande afirmação do Cristianismo. Embora tão alto e tão infinito, Deus agora se fez gente. As palavras do apóstolo João reiteram esse fato: “O Logos (a Palavra, o Verbo) se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e verdade e vimos a Sua glória, glória como a do Unigênito do Pai” (João 1.14). 

Em seu conselho soberano, Deus amou o mundo (o cosmo). A começar da “coroa de Sua criação” e a partir dela, Cristo propõe uma nova criação nEle, restabelecendo e renovando esta terra a fim de que o ser humano receba o privilégio de “glorificar a Deus e ter prazer nEle para todo o sempre” (BC-p.1). Cristo se fez homem a fim de que o homem seja co-participante da natureza divina, por meio de seu sangue imaculado vertido na cruz do Calvário (II Pe 1.4). 

Portanto, neste mês de Dezembro, aproveite para agradecer, louvar, adorar, orar, contemplar ao Senhor Jesus Cristo, agradecendo a Deus pelo seu eterno amor por nós, em se baixar e humilhar-se a tal ponto de cumprir por nós aquilo que nenhum ser humano poderia cumprir: a obediência e o prazer em Deus, o Criador. 

Louve a Deus pelo seu “dom” inefável, adore e consagre-se neste mês de Dezembro, reafirme sua fé unicamente nEle, e proponha-se a, fielmente ser-lhe grato por toda vida, buscando arrependimento e a conversão a Cristo. O Natal somente terá sentido em nossa existência quando estivermos plenos de Deus, pois é nEle que subsiste toda a vida, seja aqui, seja além. 

É o tempo de rever valores e conceitos. É tempo de olhar para nós e aliviarmos a carga de tanta opulência e vaidade. É momento de consagrarmo-nos a fim de nos parecer mais e mais com o “Homem-Deus” em nossa missão, em nossa ética e em nossos relacionamentos. Bom Natal em Cristo!

Rev. Luiz Augusto

Nenhum comentário: