segunda-feira, 22 de agosto de 2016

AUTORIDADE E SUBMISSÃO


              

O maior erro é a rebeldia contra a autoridade de Deus. Na eternidade, Satanás não só violou a Santidade de Deus, mas pior do que isso, ele se rebelou contra Deus. Ao desejar usurpar o trono de Deus e ser igual ao Deus todo-poderoso, ele foi precipitado para a terra. Adão e Eva praticaram o mesmo pecado. Ao desejarem o fruto e comerem dele, estavam não apenas desobedecendo a uma ordem divina, mas se rebelando contra a autoridade de Deus. Nossa situação para com Deus e de toda a humanidade é uma situação de rebeldia contra a autoridade divina.

Esse tema sempre foi mal-entendido pela grande maioria das pessoas e ainda hoje esse assunto é controverso devido as interpretações errôneas sobre “autoridade”. “A controvérsia do universo centraliza-se sobre quem deve ter autoridade e nosso conflito com Satanás é o resultado direto de atribuir autoridade a Deus” (W.N.). 

Na vida de Saulo, o Fariseu após encontrar-se com o Senhor Jesus na estrada para Damasco, reconhecendo a autoridade de Cristo, foi capaz de submeter-se a orientação de Ananias, um simples homem, porque discerniu o que era autoridade de Deus. O significa que quanto a este assunto, devemos considerar não o ser humano, mas a autoridade que é conferida a este. Não obedecemos ao homem, mas a autoridade que está nele, neste caso devido a sua fidelidade a Palavra de Deus. Deus tem o propósito de manifestar sua autoridade ao mundo por meio da igreja e esta autoridade pode ser expressa na diversidade dos dons que Ele concedeu ao Corpo de Cristo. Então a pior coisa é levantar-se contra a autoridade de Deus. Esta autoridade é conferida não por revelações externas, mas pela sua Palavra revelada nas Escrituras Sagradas. 

Por isso temos tanta dificuldade de absorver o que seja autoridade delegada. Se tivermos discernimento deste ponto, teremos mais zelo pelos que exercem funções de liderança no povo de Deus. Para que Deus exerça sua autoridade, homens e mulheres necessitam estar atentos a questão da autoridade delegada de Deus. 

Fazer a vontade de Deus é o alvo de todo cristão. Vontade representa autoridade. Assim se alguém quer fazer a vontade de Deus e obedecer a ela, precisa antes estar sujeito à autoridade de Deus. Mas como alguém pode sujeitar-se a autoridade de Deus se não ora ou não tem desejo de conhecer a vontade de Deus? Nosso Senhor considerava a autoridade de Deus e sua vontade mais importante até do que seu sacrifício na Cruz. Ele afirmava em oração: “acaso não beberei o cálice que o Pai me deu?” (Jo 18.11). Portanto antes de pensarmos em vontade de Deus devemos estar certos de que precisamos aprender a sermos submissos a autoridade dEle.

Precisamos reconhecer a sua autoridade sobre nós, se de fato estamos neste Reino de Deus. Assim, não teremos nunca a indisposição de fazer a vontade de Deus. Quando temos dificuldade de fazer a vontade de Deus significa que estamos colocando em dúvida a autoridade dele sobre nossa vida. Isso envolve o que fazemos e como fazemos as coisas. Qual o nosso propósito na vida e nossos alvos pessoais e coletivos. Na vida da igreja também é assim. Ser submisso a vontade de Deus é obedecer a autoridade dele, mesmo que isso não seja favorável a nós. Pois então, qual tem sido o seu nível de reconhecimento da autoridade de Deus?



Rev. Luiz Augusto

Nenhum comentário: