sexta-feira, 22 de abril de 2016

PÁSCOA: CRISTO RESSUSCITOU! O CÉU NÃO É O LIMITE!



“Se é só para esta vida que esperamos em Cristo, somos de todos os homens os mais dignos de lástima”. 1Co 15:19

A ressurreição de Cristo é o maior evento do Cristianismo. Muitos pensam que a ressurreição de Nosso Senhor foi apenas um dos grandes dentre outros que marcaram a obra de Cristo por toda a humanidade. Contudo, a ressurreição possui significados ainda muito mais relevantes.

1- A ressurreição de Cristo inaugura uma Nova Criação. O Apóstolo Paulo em suas cartas afirma categoricamente que Cristo venceu a morte não apenas para Si mesmo, mas a ressurreição de Cristo inaugura efetivamente um novo tempo, para todas as gerações. Vencer a morte foi o maior ato pelo qual Deus decidiu conferir a restauração da imortalidade e a eternidade a todos os seres humanos que caíram com Adão e Eva.

2- A ressurreição de Cristo revela que o Céu não é final. Jamais podemos viver neste mundo apenas esperando que o Lar Celestial seja o tempo final de todos os seres humanos. A ressurreição proferida pelo Profeta Daniel (Dn 12) que é referendada por Jesus (João 5.22-25) e sistematizada pelo apóstolo Paulo traz a inequívoca certeza de que embora os seres humanos passem pela morte como separação da alma e do corpo, a alma estará temporariamente com Deus, enquanto aguarda a ressurreição do Corpo para que na Nova Terra e no Novo Céu, no último dia, haja a reunificação de ambos para a vida eterna. Portanto, a Vida Eterna não é uma promessa apenas para o descanso da alma, mas também do corpo.

3- A ressurreição de Cristo é maior evento do cristianismo de fato e como tal, precisa ser pregado fielmente pelo cristianismo evangélico que tem anunciado frequentemente uma obra de Cristo parcial alias, então margeando a "heresia". Por exemplo, quase todos os cristãos anunciam a Páscoa de Cristo como um ato onde Cristo saiu vitorioso na morte e oferece a vitória e a renovação da alma ou do espírito. Essa é uma pregação parcial e incompleta. 

A igreja cristã ocidental precisa anunciar que ela crê na ressurreição do corpo, da carne e não somente do espírito, ou melhor, não existe ressurreição do espírito, porque "espírito nenhum morre". A morte é a separação de alma (espírito) e corpo. Quando não se crê que haverá ressurreição final do corpo, a mensagem deixa de ser cristã e bíblica para ser "espírita". A igreja cristã e seus pregadores precisam reavaliar o significado e o “conteúdo” do que ensinam. 

Na lembrança da ressurreição, encaramos o fato que este evento permitirá que você e eu bem como todos os que amam a Cristo e se oferecem a Ele, não terão seus corpos eternamente separados de sua alma (espírito) e sim, na consumação obterão miraculosamente seus corpos outra vez, sendo tornados incorruptíveis, viverão fisicamente na Nova Terra e no Novo Céu. (I Coríntios 15; Apocalipse 21). Assim sendo, podemos dizer: Aleluia, Ora vêm Senhor Jesus!

Rev. Luiz Augusto (Páscoa de 2016)

Nenhum comentário: