sexta-feira, 12 de junho de 2015

OS INIMIGOS DA CRUZ DE CRISTO



“Pois muitos andam entre nós, dos quais, repetidas vezes, eu vos dizia e, agora, vos digo, até chorando, que são inimigos da cruz de Cristo. O destino deles é a perdição, o deus deles é o ventre, e a glória deles está na sua infâmia, visto que só se preocupam com as coisas terrenas”. (Paulo aos Filipenses 3.18,19)

Cada dia que passa a afronta contra Cristo e a igreja visível aumenta. Não sejamos inocentes e ignorantes. Essa situação é parte do processo profético acerca da ascendência do Anticristo. A fé cristã e o cristianismo são vilipendiados pelos inimigos, pois é a marca de Satã e seus demônios. 

Mas também a cada dia me espanto com a passividade e a letargia dos que assim se declaram cristãos evangélicos e não se posicionam quando Cristo, a fé cristã e seus símbolos sacramentais são feitos escárnios. Ademais os pontos de vista teológicos que nos separam como denominações, há aqueles que não se sentiram ofendidos quando o Lobby Gay na semana passada em passeata usou os símbolos de nossa fé em atos que nos impedem até mesmo de relatar. 

É uma pena que a fé cristã se tornou tão racionalista que não cremos mais nos sacramentos e nos símbolos sacramentais. É óbvio que não creio em objetos poderosos, mas a cruz deixou de ser um objeto comum, ela se tornou um símbolo e sinal de uma mensagem de vida. 

Para aqueles que são cristãos e não se sentiram ofendidos com o escárnio, estes necessitam compreender o que de fato são os símbolos cristãos. Símbolo é todo sinal ou objeto que emite uma mensagem. A cruz é um símbolo cristão, como o peixe o era na época do primeiro século, como a Bíblia é e como tantos outros símbolos e estes necessitam ser conservados não como objetos de poder, mas como mensagem viva. Por isso me senti ofendido, pois o nome de Cristo é que estava sendo vilipendiado. Os símbolos devem ser sagrados, porém não adorados. Perder essa noção é tornar-se um racionalista. 

Quando o nome de Cristo e nossa fé são usados assim, a Igreja precisa se posicionar. Isso faz parte de nossa missão. A missão da igreja não é apenas fazer propaganda do evangelho, mas se colocar contra a ética, a imoralidade, contra a corrupção, contra a injustiça social e contra todos os atos deste mundo que são contra a verdade. A isso chamamos de “obras de justiça”. Não pregamos um evangelho pós-túmulo, mas o evangelho faz diferença em nossa vida aqui e agora. Recebemos a vida eterna agora e não somente quando morrermos. Por isso o posicionamento dos cristãos é tão necessário. Se deixarmos de ser sal e luz, nossas obras continuarão sendo “trapo de imundícia” e perdemos nossa natureza e nossa marca como igreja de Cristo. 



Qual a sua posição como cristão diante deste mundo? De passividade? De letargia? O que tens a fazer, estás fazendo? A fé não permite posição equidistante. Não podemos ficar em cima do muro, pois se nos calarmos as pedras clamarão!

Nenhum comentário: