sábado, 16 de maio de 2015

PRESBÍTERO: SUA VIDA E MINISTÉRIO


Presbítero vem da palavra “presbyteros” e significa ancião. Na igreja antiga o presbítero era considerado o “pai espiritual” ou o “pastor” das ovelhas do Senhor. O apóstolo Paulo falava que o Senhor concedeu alguns para “pastores” (presbíteros) e que além de cuidar, sua função era também de supervisionar como um bispo (episkopos). Envolvia o cuidado, o zelo, a fim de que as igrejas locais, o Corpo de Cristo vivesse segundo a Vontade de Deus. O apóstolo Paulo afirmava também que os presbíteros deveriam apascentar a igreja de Deus, a qual o Senhor havia comprado com seu sangue (At 20.28). A igreja não era dos presbíteros, mas eles deveriam cuidar dela, como mordomos.

Vale a pena ressaltar que o ministério ou a função presbiterial é de uma extrema relevância para o Reino de Deus e para a própria comunidade. Ele é chamado de “embaixador de Cristo” (2Co 5.20), “ministro de Cristo” (1Co 4.1) e de “apologista ou defensor da Fé” (Fp 1.30; Tt 1.9). 

O comportamento positivo de um presbítero era se assemelhar a Cristo e aos Apóstolos. Os primeiros presbíteros foram os Apóstolos, função a qual envolvia, em seus primórdios, todas estas ações, dentre elas a perseverança na oração e no ministério da palavra (At 6.4). Pode-se dizer então que todo presbítero deveria se dedicar em primeiro lugar à piedade e a meditar nas Sagradas Escrituras (Fp 1.4-5). Além disso, sua característica não menos valiosa era seu caráter de “saber aprender” e “ensinar” aos outros. Esta missão era sua, primordialmente. O Apóstolo Paulo dizia que ao servo do Senhor não convinha contender e sim ter mansidão, sendo capaz de ensinar (2Tm 4.13) e que se dedicasse a leitura pública das Escrituras (1Tm 4.13). Ainda aos Romanos, Paulo dizia que eles deveriam ministrar, isto é, servirem e também instruir (Rm 12.7).

Eles também deveriam cuidar para não serem incoerentes no ministério. Os presbíteros deveriam abdicar de serem dominadores sobre o rebanho. Hoje há muitos que exercem opressão e não cuidado. Deveriam buscar também evitar o lucro vil. Paulo chama isso de cobiça de torpe ganância (At 20.33). Deveriam ser moderados, não ser briguentos ou avarentos (1Tm 3.3). Jamais deveriam ser “cheios de truques” isto é, astuciosos (2Co 4.2). Nem mesmo preocupados em agradar a pessoas (1Co 4.3; Gl 1.10). Paulo também diz que os presbíteros deveriam cuidar para não serem embaraçados com as coisas desta vida, isto é envolvidos e amealhados pelo mundo (2Tm 2.4). E não deveriam ser beberrões, nem glutões (Tt 1.7).



Portanto, assumir este ministério é viver transitando entre o divino e o humano, lutando pela santidade, buscando sempre ser fiel ao chamado de Cristo. Ser presbítero é estar convicto de sua vocação e não meramente exercer um cargo numa igreja. Que busquemos este alvo, para a glória de Deus.

Nenhum comentário: