quinta-feira, 2 de abril de 2015

FESTA DA PÁSCOA: A RESSURREIÇÃO DE CRISTO E A NOSSA RESSURREIÇÃO



Amados, agora, somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que haveremos de ser. Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque haveremos de vê-lo como ele é. (1ª João 3.2)

A maior glória de um humano pecador é saber que ele voltará ao seu estado original. Há uma enorme confusão quando os evangélicos se reúnem para celebrarem a Páscoa de Nosso Senhor Jesus Cristo. Muitos nem entendem o que a Bíblia afirma sobre ressurreição. Outros confundem ressurreição com a morada intermediária celestial. Outros nunca chegam a pensar nisso e acreditam que seja uma ressurreição espiritual. 

A Escritura nos ensina claramente que a ressurreição de Cristo é a nossa ressurreição. Isso significa que iremos viver fisicamente, mas em uma nova realidade: esta vida será a vida de Deus e será eterna. Por isso a Páscoa de Cristo tem tanto significado para a Cristandade. A mesma condição de Adão será readquirida e da mesma maneira que viveu Adão antes do pecado também nós viveremos. 

Medite no texto acima: “Ainda não se manifestou o que haveremos de ser, mas quando Ele se manifestar seremos como Ele, por que o veremos assim como ele é”. Cristo ressuscitou para assegurar-nos que haverá uma ressurreição final. Ele nos afirma isso quando diz: “vem a hora quando todos os que estão nos túmulos ouvirão a sua voz e sairão, uns para a ressurreição do juízo e outros para a ressurreição da vida (Jo 5.28-29). 

Festejamos a Páscoa de Cristo segundo o Novo Testamento não apenas porque Cristo venceu a morte, mas, sobretudo porque a sua ressurreição será a nossa, tendo-o como modelo e padrão. Se ele ressuscitou em seu próprio corpo, nós também. Se ele vive eternamente em seu corpo, nós também. Haverá novo sentir, novo vinho a beber, novo olfato, novo paladar, os sentidos serão restituídos, a comunhão com terra, água e ar será renovada. A criação geme esperando a redenção do corpo. Se permanecêssemos em nossa alma no céu, a Sua obra seria incompleta. Mas de fato, como afirma o apóstolo S. Paulo, Cristo ressuscitou dos mortos, sendo ele as primícias dos que adormeceram (1ª Co 15.20). 

Cristo foi o primeiro e nosso representante eterno. Depois nós, assim afirma Paulo, quando de Sua volta, os que morreram em Cristo sairão para a ressurreição. Um corpo glorificado, incorruptível numa Nova Terra, esta que será restaurada e numa só comunhão com todo o Reino de Deus: a criação estará presente, flora e fauna, mundo mineral, visível e invisível serão unidos e reunidos. Ele estará presente e o Seu Espírito estará dentro de nós e em nós.

Assim vale celebrar a Festa da Páscoa. Há muitos que celebram a Páscoa de Cristo ainda com os olhos no Antigo Testamento. Ledo Engano. Falsa Interpretação. A saída do povo de Israel do Egito e a passagem do anjo da morte eram apenas sombras do que haveria de ser. 

Acordem evangélicos e cristãos! Olhem para cima, mais alto. Compreenda que há uma revelação maior, completa e eterna. Jogue fora todas as vozes sejam elas comerciais e consumistas da páscoa. Isso nada mais é do que a voz do demônio. Jogue também no lixo todas as interpretações que já lhe deram sobre a ressurreição e em fé retenha a graça para que você possa viver de olho no futuro, sendo Nova Criação já. Arrependa-se, mova seus olhos de fé em Cristo que lhe traz a esperança viva.

Nenhum comentário: