sábado, 14 de março de 2015

O COMBATE INTERIOR (II)


Como já disse no boletim anterior, nossa maior batalha não está fora e sim dentro de nós. O maior objetivo de vivermos em Cristo enquanto estamos vivendo aqui é nos parecer com Ele. Para isso temos que viver sob o domínio do Espírito Santo. Neste caso, devemos aprender o tempo todo a expelir o que não presta de nós e nos enchermos das coisas relativas a Deus. Isso começa em nossa mente, mas tem como finalidade chegar ao coração, ao mais íntimo de nosso ser para que experimentemos o que o apóstolo Paulo chama de domínio próprio. 

Há muitos crentes que não tem domínio próprio, nem trabalham isso em suas vidas. O fato de chegar ao grau de autodomínio na vida espiritual tem a ver com um conjunto de virtudes que são adicionadas na vida. São as experiências que amadurecem nosso ser. A maturidade espiritual é o propósito do enchimento do Espírito. Mas sem o enfrentamento de nossos pecados e mazelas, nenhum cristão que se digne ser chamado de crente poderá vencer as suas paixões carnais e seus desejos egoístas. Há muitos crentes egoístas, pessoas já vividas na vida, mas que não conseguem olhar as coisas e as pessoas com os olhos de Jesus Cristo. Isso porque ainda não entraram no combate interior a fim de submeterem suas paixões ao Espírito Santo. 

Sem dúvida alguma as disciplinas espirituais estão ao nosso dispor para que estas nos ajudem a dominar-nos e junto ao Espírito Santo vencermos esta batalha que se não for travada, nos levará sempre a sermos os “carnais” que Paulo nos diz em Primeira aos Coríntios capítulo três. A meditação, a oração pessoal, o jejum, a solitude são deveres mais que urgentes a fim de expelirmos a agressividade, a amargura, a ironia, o sinismo, o egocentrismo, a vaidade, a melancolia, a intemperança, a mentira, e todas as demais obras que não vem do Espírito Santo de Deus.

Volto a lhe dizer, enquanto não tomarmos a decisão de confrontarmos nosso coração, não haverá uma mudança substancial dentro de nós. A presença de Deus em alguém somente poderá ser sentida no momento que depusermos nossa altivez. A HUMILDADE é a primeira das grandes virtudes que nascem em um coração rendido a Cristo, mas ela é só a primeira. Ninguém, absolutamente poderá ser um seguidor de Cristo se seu coração não for dobrado e submetido a Ele. 

Há muitos crentes que embora afirmem que Cristo é o seu salvador, não o conhecem como Senhor. Seus planos pessoais, seu dia-a-dia não revelam que são salvos nem estão vivendo como o Senhor quer que vivam. Alguns dizem que são crentes por que se converteram ao método de espiritualidade de sua igreja ou denominação. Ainda lhes falta sim, uma conversão profunda e marcante. Ainda precisam entrar no combate interior, submeterem-se ao Espírito Santo. Portanto, veja como anda seu nível de humildade e verá o quanto tem do Espírito de Deus!

Nenhum comentário: