sexta-feira, 20 de março de 2015

CERTEZA DE SALVAÇÃO. VOCÊ TEM?


“Muitos, comparativamente, apenas creem, mas poucos ficam realmente persuadidos”. Esta é uma grande verdade. Um dos escritos do bispo reformado J. C. Ryle sobre “Segurança” traz um estudo sobre isso. Esse assunto retira das Escrituras todo embasamento teológico para defender este assunto tão relevante para a pregação e também é prático porque está interessado em questões cruciais para a nossa vida. Concordo plenamente com ele, quando muitos creem, porém poucos são os que estão persuadidos nesta fé. Principalmente nestes dias, quando nos detemos ao analisar a mensagem da Igreja Evangélica. Além do mais a obra missionária tem sido prejudicada por uma crescente onda de doutrinas variadas, na sua grande maioria infectada por outros princípios. Cremos que a Certeza de Salvação é a base de toda a vida cristã. Ryle continua: “Muitos comparativamente, possuem a fé que salva, mas poucos obtêm aquela confiança gloriosa que transparece claramente na linguagem de Paulo. Penso que todos devem admitir que assim, de fato, acontece.” 

A grande maioria das mensagens de hoje, tem levado muitos a obterem uma fé nominal, mas não são persuadidos a desenvolverem sua salvação com tremor e temor (Fp 2.12). Os ventos de doutrina têm soprado e tem distorcido a ética transformando-a em ações convenientes. Quando lemos a história da igreja, claramente vemos homens e mulheres levando até às últimas consequências seu testemunho, tudo porque possuíam uma convicção inigualável que os levava a dizer: “não temos nada a perder”! Estas palavras eram o resultado, creio firmemente, da doutrina da certeza da fé, da segurança da salvação que possuíam.

Segundo J. I. Packer, “algumas vezes, os reformados modernos falavam sobre segurança da salvação como fruto da fé e outras vezes como uma qualidade da fé” e Joel Beeke acrescenta: “Neste sentido, segurança é o ‘nata’ da fé. Calvino reafirmava o que Lutero e Zwinglio defendiam. Assim para ele, fé nunca é meramente uma confirmação, mas sempre envolve conhecimento e confiança. Calvino afirmava que conhecimento e confiança são dimensões da vida de fé, mais do que mera noção material. Fé não é conhecimento histórico como Beza ensinava, mas um conhecimento certo e salvífico conjugado com uma confiança segura”. Quando os Cânones de Dort falam sobre perseverança, há uma forte ênfase de que esta certeza ocorre de acordo com a medida de sua fé, pela qual os cristãos creem que são e permanecerão verdadeiros e vivos membros da igreja invisível e que têm o perdão dos pecados e a vida eterna. Geoffrey Thomas define segurança da fé como aquela que o cristão possui e lhe dá certeza de que é um fiel e que o capacita a dizer “eu sei que meus pecados estão perdoados; eu sei que vou para o céu; eu sei por que... e dá as razões”. Hildersam assevera que a verdadeira segurança da salvação que o Espírito Santo opera no coração é como uma força que o detém de uma vida licenciosa e o une intimamente em amor e obediência a Deus. 

Por causa deste tema tão apaixonante, os reformadores foram exaustivos. Claramente faziam também distinções entre fé e segurança, sempre demonstrando que havia necessidade de distinguir claramente a essência da fé e o desenvolvimento da mesma que “rechearia” esta mesma, robustecendo-a durante a caminhada cristã. E então, você tem certeza da salvação? Pense e ore sobre isso! (continua...)

Nenhum comentário: