quinta-feira, 21 de agosto de 2014

CHAMADOS PARA A MISSÃO





As Escrituras nos fazem ver que existem três palavras que direcionam a missão da igreja e que são os braços que devem estar estendidos no mundo por meio dos seus filhos. Jesus nos chama a ser “sal da terra” e “luz do mundo” por meio destas três ações como igreja, seja como Corpo de Cristo, seja como comunidade local.

1) COMUNHÃO - Koinonia (Jo 13.34-35): Jesus nos ensina que a comunhão é o primeiro passo para a missão. A comunhão é o que dá o tom do serviço. Para que possamos cumprir a missão neste mundo, necessitamos buscar não apenas “viver”, mas a “conviver” com os irmãos. A comunhão não é um “fim em si mesmo”, mas o meio pelo qual outros veem o amor que nós possuímos uns pelos outros e os motiva a tornarem-se parte de nós, junto conosco. A nossa “convivência” marca a vida de outros profundamente.

2) PROCLAMAÇÃO DO SENHORIO - Kerigma - (Rm 10.9): A grande mensagem da igreja primitiva era: “Jesus [é] o Senhor...”. No início da era cristã, os cristãos não pregavam apenas uma salvação celestial, mas o Senhorio de Cristo sobre tudo e sobre todos. Quando pregamos o Senhorio de Cristo, não dizemos apenas que Ele pode salvar a “alma” das pessoas, mas também tudo que envolve a vida. Ao dizermos que Jesus é o Senhor, revelamos que Ele não apenas nos salva para o céu, mas que Ele deseja ser o verdadeiro governador da vida “aqui e agora”. É impossível dizer que “Jesus é o Senhor” e não permitir que Ele tenha a palavra final na Educação, na Ética, na Economia e na Política. Dizer que Cristo é Senhor também é fazê-lo salvador do “corpo” e da “alma” não apenas no sentido pessoal, mas também no coletivo.

3) SERVIÇO DE AMOR - Diaconia - (Mt 25.30,45): A missão da igreja envolve o homem não apenas no espírito, mas também no físico. Ele é o Senhor e deseja ser o regente definitivo sobre a vida humana. Essa foi a proposta da “criação” no Éden. Se crermos na crucificação de Cristo, também cremos na ressurreição do corpo. Se amarmos pelo discurso, devemos amar também por meio de atos, de ações, de obras. Só existe evangelho de Cristo quando as pessoas são restauradas material, física, psicológica e socialmente. O evangelho que salva é também o evangelho que restaura a saúde em todos os níveis da vida humana.

Assim compreendemos que missão não é apenas evangelizar, mas é se fazer presente na sociedade a fim de que, através de palavras e atos o Reino de Deus se concretize nesta terra. Quando abraçamos a Cristo pela fé, começamos a viver a “Nova Criação” a partir de agora, pois o que fazemos aqui promoverá a Volta de Cristo. Ele virá enquanto a Sua igreja está trabalhando, pois só se é igreja enquanto se está em missão e somente há missão enquanto a igreja vive neste mundo de modo justo, piedoso e relevante. Portanto, mas uma vez neste momento, dedique seus dons, talentos e conhecimento como braços e mãos do Espírito Santo para que você também seja participante da Sua missão.



Rev. Luiz Augusto

sábado, 16 de agosto de 2014

ANTES QUE SE ROMPA O FIO DE PRATA





Sim, lembre-se dele, antes que se rompa o cordão de prata... (Eclesiastes 12.6)



A vida é muito curta e passageira. Muitos escritores da Bíblia falam que o ser humano é como a flor de uma erva. Nasce, cresce, torna-se bonita e morre. Temos visto nestes últimos dias isso acontecendo com várias pessoas do cenário político e artístico (Robin Williams e Eduardo Campos). A vida passa ligeira. Muitos tentam evitar a morte com tantos tratamentos contra o envelhecimento e lutam por uma qualidade de vida sempre melhor. Mas o que fazer quando a morte nos chega repentinamente?

Os jovens estão agradecendo a Deus por mais um ano da União da Mocidade Presbiteriana. E a eles me dirijo afirmando que antes que se rompa o fio de prata, lembrem-se do Criador. Porém é bom saber que a lembrança aqui pedida pelo autor de Eclesiastes não é meramente um ato de memória, mas, sobretudo de tornar o Criador a razão de suas vidas, pois após a morte não há muito mais o que fazer.

Lembrar-se do Criador é dar os melhores anos de sua vida a Cristo. Quando vivemos de modo que tudo o que fazemos ou pensamos está sob a orientação da Santa Palavra de Deus, a vida e nossa limitação se tornam mais leves. Uma das coisas que sempre ouvimos é que o jovem deve lutar por aproveitar a vida. Muitos dizem: “Aproveite enquanto é jovem”! Mas aproveitar a vida para aquele que se entrega a Cristo é viver com sabedoria, alegria e consciência.

Por isso enquanto a vida passa com rapidez e antes que a morte chegue, devemos lembrar-nos do Criador como aquele que tem a nossa vida em suas mãos. Muitos de nós lutamos para que tenhamos o controle dela. Mas é um ledo engano. Sabemos que isso é impossível. Então a melhor coisa que podemos fazer é buscar toda a orientação que provém do Autor da vida para que possamos usá-la da melhor maneira possível conhecendo o Eterno Filho de Deus.



Lembre-se do seu Criador que é o próprio Cristo. Se entregue a Ele. Faça dEle a razão de sua existência porque não sabemos quanto tempo temos aqui de vida, mas também plante agora as sementes da graça e viva de modo que você possa colher os frutos na eternidade aí sim, de fato, valerá a pena. Esta vida comparada a eternidade - que já começa aqui - não pode ser comparada e nem mensurada. Jamais pense que esta vida é a única a ser vivida. Plante para a vida eterna. Esta vida somente fará sentido, se vivida na esperança da eternidade!

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

“DEUS, FAÇA DE MIM UM HOMEM”



Lendo um livro sobre plantação de igrejas de Darrin Patrick, achei interessante sua análise sobre a realidade social do homem a qual está passando por uma crise sem precedentes no século XXI. Vivemos uma crise onde os homens atuais prolongaram a sua adolescência. Não são homens maduros e sim “homeninos”. 

Há muitos homens que ainda vivem a transição da adolescência para a fase adulta. Não amadureceram e não cresceram. Encontramos este tipo de homem também na igreja. Quase metade dos homens adultos é aficionado em internet e especialmente em videogame. Muitos vivem com uma companheira e não estão casados. A maneira que este “homenino” lida com as mulheres é desastrosa. Muitas mulheres hoje desistiram de tentar encontrar o “cara certo” porque os homens que lhes aparecem não são homens, são meninos na mente e coração. Eles não possuem absolutos, vivem um relativismo pessoal e como consequência são instáveis emocionalmente, próprios de adolescentes. Não gostam de responsabilidades, vivem ciceroneados pelos pais e preferem morar na casa destes. Como consequência, este “homenino” adia sua vida adulta tanto quanto ele puder. Evita a todo custo casar-se e ter filhos. Numa roda de “homeninos” o assunto geralmente é UFC, pois se projetam nestes “super-heróis” de intelectos vazios. Desenvolvem relacionamentos virtuais e vivem num mundo só deles. Assim, a sociedade tem se arrumado em torno da mulher como aquela que deve resolver os problemas deste homem que não é homem, mas um adolescente que vive como um autista social.

Hoje, precisamos de homens que se assumam como adultos. O mundo ocidental a passos largos está preferindo os homens mais novos por que podem “produzir” mais e rejeitando os mais velhos que poderiam deter a sabedoria. Nisso perdemos feio para o mundo oriental. Mas enquanto os “homeninos” não se tornarem conscientes que precisam amadurecer ainda sofreremos com movimentos sociais instáveis, instabilidade econômica em todos os sentidos e teremos famílias desajustadas. Homens que assumem sua maturidade promoverão, com certeza, melhores relacionamentos, bem como um país mais sério no que tange as macro-decisões. 

Precisamos de homens que se assumam como instrumentos de transformação social. Homens que sejam comprometidos. Comprometidos como maridos, pais, líderes e liderados. O que me assusta é que não vemos mais homens comprometidos com ideais, e sim se tornam elementos que vivem para si, pensam somente em si e pensam que o mundo gira em torno deles. O Cristo-Homem deve ser o modelo pelo qual devem estar comprometidos com o Reino de Deus e não com seus próprios nomes e com suas vidas pequenas demais. 

Hoje, precisamos de “homens de Deus” seja no mundo ou na igreja. Quando este título já virou “jargão” e se desgastou, temos que descobrir novamente a seriedade deste termo e compreender que este homem é aquele que busca conhecer a Deus profundamente e tanto quanto conheça, viverá como Deus quer e não como ele prefere. 

Se há um presente que podemos dar aos nossos filhos, a igreja e ao mundo neste dia, é como homens assumirmos nossas lutas, nossos ideais e acima de tudo buscarmos o modelo a ser vivido: Jesus Cristo - homem.

Concluo fazendo a oração de Darrin Patrick: “Deus faça de mim um homem inabalável, mas de coração terno. Faça de mim um homem firme e amoroso. Faça-me firme para que eu possa encarar a vida. Faça-me amoroso para eu possa amar as pessoas. Deus faça de mim um homem”. 

Feliz Dia dos Pais, 2014