sábado, 8 de novembro de 2014

CRESCIMENTO DA IGREJA LOCAL

Será que você já se perguntou alguma vez? O que Deus deseja da minha comunidade local? O que as Sagradas Escrituras nos ensinam sobre a atuação de Deus na comunidade? 

O Crescimento da Igreja é como um processo de vida. Precisa ser visto como uma ação coletiva. Alan R. Tippet dizia que “um corpo cresce quando o faz nas diversas áreas da vida e reciprocamente”. Orlando Costas também afirmava: “O crescimento do Corpo de Cristo ocorre em vários níveis, é multidimensional”. Quando há um verdadeiro crescimento em uma igreja local podemos percebê-lo pelo menos em três dimensões: Quantitativamente (em números de pessoas), qualitativamente (em maturidade espiritual pessoal e coletivo) e organicamente (como Corpo de Cristo nos diversos ministérios, dons e talentos). Este crescimento deve ser equilibrado. Se uma dimensão cresce mais que outra haverá deformação. 

Portanto você deve se perguntar: “O que Deus deseja de minha comunidade local?” Se olharmos as diversas parábolas contadas por Cristo como a do grão de mostarda (Mt 13.31-32), como a do fermento (Mt 13.33), como a da rede cheia de peixes (Mt 13.47-50) ou como a da colheita no campo (Mt 13.24-30), vemos que em todas elas há consequências que falam de crescimento (Mt 16.18; Sl 22.27; 1 Tm 2.4; Jo 3.17). 

Então sua igreja precisa crescer de forma balanceada e cada um de nós temos uma participação efetiva nisso. O crescimento precisa envolver quantidade (É pessoal e social porque envolve um aumento no número de participantes no grupo e na família da Fé). O crescimento precisa ser orgânico (É coletivo e envolve o relacionamento horizontal entre os membros e congregados da igreja e o serviço de uns para com outros é fundamental). O crescimento precisa revelar maturidade espiritual (É pessoal, íntimo e vertical, porque envolve o relacionamento entre cada um de nós e a pessoa bendita do Espírito Santo). 

Vemos que o Espírito Santo, o "dono" de nossas vidas sempre trabalha de maneira equilibrada. Assim ele também deseja e nos encoraja a crescer, equilibradamente. Veja as ênfase: "... antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo (Efésios 4.15) ou "... e o próprio Deus de paz vos santifique completamente; e o vosso espírito, e alma e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo" (1ª Tessalonicenses 5.23) ou "um novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei a vós, que também vós vos ameis uns aos outros. Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros" (Ev. João 13.34,35). Eles afirmam que todos, indistintamente, todos os cristãos devem manter comunhão contínua, serviço frequente e espiritualidade pessoal. 

Quero lhe perguntar: “O que aconteceu em sua comunidade ou grupo de fé até o dia de hoje”? Pense com sinceridade. Analise sua participação na igreja. Dentre os três tipos de crescimento, o qualitativo é o mais difícil de medir; o quantitativo é o mais fácil e o orgânico, apesar de fácil, precisa-se de muita análise. 

Mesmo que você não esteja frequentando há muito tempo uma igreja, vale a pena procurar fazer uma análise pessoal e comunitária para que você veja onde está e como a coletividade quer ir. Pense e tome uma decisão hoje mesmo de participar efetivamente do crescimento de sua igreja. Mas sempre equilibradamente, não segundo os homens e sim segundo o Espírito Santo. Comece a buscar o crescimento de sua igreja, só depende de você, para começar.

Nenhum comentário: