sexta-feira, 17 de outubro de 2014

UM PAÍS CULTURALMENTE CORRUPTO


"Corra a retidão como um rio e a justiça como um ribeiro perene! (Amós 5:24)

A cultura é o conjunto de histórias, tradições, costumes e modo de vida de um povo. Desde sua gênese quando um pequeno grupo de pessoas passa a viver, pensar, julgar e agir possuindo vínculos em comum vai se formando o que chamamos de cultura. Olhando para o presente e fazendo uma leitura do passado é muito importante construir pontes no tempo a fim de que se saiba edificar um futuro. Nenhuma pessoa em sã consciência pode desprezar isto. Nossa cultura é o desembocar de muitas vidas e de muitas tradições.

O Brasil é um belo e rico país. Nossos colonizadores plantaram muitas sementes culturais em nosso solo. Nesta colonização recebemos muitas nações e hoje somos um país de muitas raças e muitas culturas. Juntamente com estas sementes recebemos também o Cristianismo. Desde a sua primitividade a Fé Cristã soube contextualizar-se nos povos nos quais o evangelho foi anunciado. 

Tudo seria muito lindo e bom se não fosse a corrupção da natureza humana. E em cada cultura e povo esta corrupção se manifesta de modo mais intenso ou não. A corrupção é um elemento muito sorrateiro que se mistura em tudo que fazemos, falamos, como negociamos e como nos relacionamos. 

A política e a religião não estão isentas da corrupção. Elas se casam muito bem. Basta ler o Apocalipse e ver que a Besta que sai do Mar (o Anticristo – sistema político) é alimentada pela Besta que sai da Terra (o falso profeta – sistema religioso). 

Nestes dias em que estamos sendo saturados pela política e pelas notícias as mais variadas dos candidatos a Presidência da República, creio que devamos fazer uma leitura honesta a partir dos evangelhos e do resultado da fé que são as “obras de Justiça”. Um país jamais pode crescer e se desenvolver se em meio a todas as promessas e projetos de desenvolvimento, esteja instalado sementes de corrupção. Uma das tarefas missionárias da igreja é fazer valer estas “obras de justiça” onde quer que haja um povo. Por isso devemos lutar para que o resultado de uma pregação de amor e de salvação seja uma cultura saudável, purificada pelo evangelho. Não está nas mãos apenas do Governo ser Leal ao povo, mas também está na voz e na vida da Igreja o esmerar-se por ser a “Consciência do Estado”. Neste próximo dia 25 de outubro, quando iremos às urnas, devemos acima de tudo lutar por um país mais justo e contra a corrupção de Partidos, Governos e Candidatos. Ao exercer seu papel de cidadão, o cristão também faz seu papel de servo de Cristo que luta por estabelecer o Seu Reino lutando contra a corrupção da estrutura política e governamental. Devemos, portanto fazer de tal modo que estanquemos o “mar-de-lama” que corre nas instituições, organizações e na cultura de nosso país. Lutemos neste dia em prol de um país mais justo e menos corrupto. A partir daí as outras coisas virão. Lembremo-nos das santas palavras: Busque em primeiro lugar a Sua Justiça e Seu Reino e as demais coisas se acrescentarão. (Mt 6.33)

Nenhum comentário: