sábado, 15 de fevereiro de 2014

SER DISCÍPULO? EIS A QUESTÃO!(II)



Na época primitiva, um discípulo era a pessoa que ouvia o chamado do mestre e se juntava a ele. Era um aprendiz a fim de adquirir conhecimento prático e teórico. A relação entre aluno e professor era intensa especialmente no Judaísmo. O relacionamento entre ambos tornava-se uma questão de vida. No Novo Testamento, discípulo tornou-se um termo para indicar a total devoção a alguém. Especialmente no discipulado de Jesus, o discípulo estaria sempre disposto a servir.

Do discípulo exigia-se a imitação de seu Mestre. Imitar enfatizava um tipo especial de comportamento, modelado em outra pessoa. O apóstolo Paulo usava frequentemente esta palavra para motivar seus discípulos a uma vida de imitação, ele jamais se incluía como alvo final a ser imitado (I Co 11.1), pelo contrário, sempre apontava a Jesus, que deveria ser a proposta última de imitação e exemplo.

A proposta do Discipulado de Jesus era treinar pessoas para que os mesmos pudessem multiplicar o seu ensino e mandamentos sabiamente repassados na perspectiva da obediência, tornando os discípulos seus “seguidores”. Contudo, este “seguir” jamais viria sem um compromisso de vida, de dedicação, de amor e de entrega de vida plena ao Mestre. Conjugado a isto, o Mestre seria o alvo maior, como exemplo e modelo a ser imitado. Já não era um movimento religioso, mas sim, um estilo de vida que todos os seus seguidores assumiriam diante do mundo e chamariam outros a vivenciarem uma mudança radical em prol da glória de Deus e satisfação de seus corações.

Waylon Moore afirma que “Discipulado é o processo de educar e levar pessoas a um estado de maturidade e adulta comunhão com Cristo e de serviço eficiente na Igreja. Fazer alguém discípulo de Jesus é levá-la a experiência de ter Jesus como Senhor e centro de sua vida. Ser discípulo implica num ato de entrega e num processo de obediência. Um homem é discípulo de Cristo, quando busca permanecer em Sua palavra, glorificar ao Pai e dar frutos (João 8.31;15.8)”.

Sem dúvida, a experiência de ser encontrado por Cristo através da fé é condição sine qua non para que o Discipulado se inicie na vida de alguém e o processo de obediência é o resultado sadio de alguém que está caminhando na fé, isto é, no discipulado. 

Nenhum comentário: