sábado, 7 de dezembro de 2013

PRINCÍPIOS PARA A VIDA QUE JAMAIS DEVEMOS NOS ESQUECER


Parênese por ocasião da sessão solene de Formatura no Seminário de Educação Cristã - SEC

2Tm 4:1-5: Conjuro-te diante de Deus e de Cristo Jesus, que há de julgar os vivos e os mortos, pela sua vinda e pelo seu reino; prega a palavra, insta a tempo e fora de tempo, admoesta, repreende, exorta, com toda longanimidade e ensino. Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos, e não só desviarão os ouvidos da verdade, mas se voltarão às fábulas. Tu, porém, sê sóbrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério. 

Excentíssima Sra. Daisy Santos Correia de Oliveira –  Presidente do Conselho Administrativo do SEC; Mui Digna Profa. Ábia Saldanha Figueiredo - Diretora Executiva do Seminário de Educação Cristã; Excentíssimo Prof. Ivanildo Alves Lopes, Coordenador Acadêmico do SEC, Excelentíssima Profa. Mônica Cristina Santos Torres - Patronesse da Turma de formandos 2013; Excelentíssimo Prof. Pr. Ney Ladeia – Pastor Titular da Igreja Batista da Capunga, a qual nos hospeda neste momento; Queridas formandas, querido formando, Digníssimos Professores e Professoras, funcionários e funcionárias da Casa, demais irmãos e amigos em Cristo Nosso Senhor.

Falar nestes últimos momentos quando nos despedimos de pessoas queridas com quem convivemos de perto, não é tão simples assim. Nossa vida sempre é marcada pelas saudações dos começos e pelas despedidas das conquistas. Lembro-me aqui da despedida do apóstolo Paulo dos irmãos da igreja de Éfeso quando no livro de Atos dos Apóstolos (20.17ss) narram uma das passagens mais lindas onde revela o quanto Paulo e os seus presbíteros eram amigos, mais chegados que irmãos. Paulo ali dá aos mesmos um relato sobre sua vida, conselhos e revela um coração cheio de emoção. 

Deus tem seus tempos de abraçar e tempos de deixar de abraçar. Estar no serviço do Senhor requer coragem e ousadia para que seu nome seja levado até os confins da terra e conviver com as despedidas também. 

Durante estes anos que passamos juntos, posso observar que tivemos alguns pontos em comum: Convivemos juntos nas aulas de segunda feira à noite, passamos pelas provas, provações, necessidades e alegrias. Não apenas tratamos sobre conteúdos das disciplinas, mas também compartilhamos as coisas da vida. Tivemos o privilégio de chorar com alguns e nos alegrar com todos. O Currículo do programa foi conquistado passo a passo, semestre após semestre. Sabemos que nem tudo, vocês puderam absorver completamente, mas vocês mesmos irão posteriormente usufruir das matérias estudadas como ferramentas no Campo Missionário e Ministerial. 

De agora em diante vocês começarão a andar com seus próprios pés, aprenderão na prática as questões que puderam apenas ver na teoria. A maior lição que podemos aprender é de que sempre seremos aprendizes. Enquanto formos discípulos do Mestre Nosso Senhor Jesus Cristo, sempre estaremos no nível de alunos. Aprendizes, sobretudo no conhecimento da intimidade com Deus, dos seus segredos, dos seus desejos, do seu plano. Seremos discípulos para aprender da Autoridade Divina, do Poder Divino, mas também da Misericórdia Divina.

Eu não posso esquecer de dizer sobre o cafezinho! Ah o cafezinho no intervalo! Não posso deixar de agradecer o cafezinho, às vezes com torrada, às vezes com bolachinha. Vocês sabem cuidar de seus professores. Muito obrigado!

Durante três anos, vocês viram, e ouviram muitas palavras, frases, sermões, aulas, orações, mas mesmo que vocês se esqueçam de tudo que vocês ouviram e viram, mesmo que tenham momentos de colocar em jogo tudo que vocês pensam acerca de seus ministérios, eu gostaria de deixar quatro conselhos que para mim são inegociáveis para alguém que está engajado e comprometido com o ministério missionário de Cristo, coisas que, se vocês perderem tudo, se tudo o que vocês planejarem não der certo, se aquilo que vocês esperavam não acontecer, se vocês passarem pela pressão do ministério, por provas, por aflições, seja a situação que vocês passarem aqui, ou onde estiverem nunca se esqueçam destes quatro conselhos que deixarei para vocês:

Em primeiro lugar, “Nunca abram mão de seus princípios”: 
O monge agostiniano e reformador da igreja do séc. XVI, Martinho Lutero na Dieta de Worms, quando convocado para se retratar diante do Papa e do Rei Carlos V fez a seguinte afirmação: “A menos que vocês provem para mim pela Escritura e pela razão que eu estou enganado, eu não posso e não me retratarei. Minha consciência é cativa a Palavra de Deus. Ir contra a minha consciência não é nem correto nem seguro. Aqui permaneço eu. Não há nada mais que eu possa fazer. Que Deus me ajude". 

Os métodos, formas, didática, adequações para melhorar a vida não são mais importantes que os princípios que devem reger uma vida. Os princípios a gente vai levar para o túmulo e para a vida eterna, por eles vivemos, por eles morremos. Pelos princípios que temos dentro de nós é que nos doamos a pessoas, aos projetos e planos e por outros que talvez nunca iremos conhecer. Uma pessoa sem princípios é alguém sem passado, sem presente e sem futuro. Alguém que não sabe o que é, e nem para que veio fazer aqui neste planeta. As pessoas que realizam alguma obra, um feito, deixam gravados na história os seus princípios. Quando negociamos estes princípios nos tornamos “massa de manobra” de outros que detêm o poder das massas e manipulam o povo a partir de suas paixões. Nos tornamos marionetes e fantoches da história de outros. 

Na missão de Deus, somos servos de Cristo, servos que possuem os princípios de Cristo, que embora aprendendo a submissão a Deus, não podemos deixar de reger a nossa vida por princípios que a Palavra de Deus comunica aos nossos corações. A frase histórica de Martinho Lutero nos ensina a manter a palavra até mesmo quando nossa reputação está sendo questionada e colocada em jogo. Se vocês alimentarem sua relação com Cristo e desenvolverem a comunhão com Ele, buscando ser seguros na Palavra, na confiança, no caráter, então seus princípios serão preservados e acima de tudo vocês glorificarão a Deus e serão agradáveis a Ele. Portanto não se esqueçam de viverem pelos seus princípios.

Em segundo lugar, “Nunca abandonem a fidelidade a Deus”: 
Uma das passagens bíblicas que mais marcaram a minha vida quando estudava no seminário era a de I aos Coríntios 4.2 que diz: “Ora, além disso, o que se requer dos despenseiros é que cada um seja encontrado fiel”. É verdade sim que para Deus ninguém é fiel, porque todos são pecadores e somente são o que são pela graça de Deus. Nossa busca pela fidelidade é o nosso ideal. Ser fiel a Deus como ideal é viver na busca de ser parecido com Cristo. Hoje este ideal de vida, isto é “ser fiel a Deus” ou se tornou coisa de somenos importância ou tem sido um mero chavão verbal usado pelos crentes e lançado ao ar sem o menor compromisso com Deus. Hoje é possível você estar na liderança eclesiástica e continuar mantendo um procedimento questionável, é possível ser um religioso, um pastor, um presbítero, um líder missionário, mas sem compromisso com Deus e Seu Reino. O texto de 1ª. aos Coríntios deve ser não apenas o lema de nossa vida, mas a motivação para nosso ministério. Pode ser que vocês não sejam ótimos e ótimas nas línguas originais, em Grego, Velho Testamento, Missiologia, mas uma coisa vocês não podem deixar de ser: fiéis a Deus. Quando digo fidelidade a Deus digo acerca de questões práticas: Como vocês estarão sendo mordomos de Deus. Como administrarão o tempo, o dinheiro que receberão, a sua profissão, o trabalho de evangelização entre tantas coisas. Como serão fiéis a Cristo na submissão às autoridades constituídas sobre vocês. Isto significa que buscar ser fiel a Deus, resulta também em uma contracultura cristã. Fidelidade até para poder se posicionar diante daquilo que é certo e daquilo que é errado. Elden Peterson diz: "Se o seu inicio foi desastroso, não se preocupe. O que realmente importa é a maneira como você irá terminar." Fidelidade não olha para quanto você faz, mas como você faz. Fidelidade não fala sobre início maravilhoso, mas em término vitorioso. Portanto nunca abandonem a busca por serem fiéis a Cristo.

Em terceiro lugar: “Nunca abandonem a Integridade”. 
Morris Mandel, um judeu polonês radicado nos Estados Unidos certa feita afirmou: "Integridade: Um nome que traz consigo um selo de tudo aquilo que chamamos de caráter. Você pergunta: ‘O que é um nome?’ Eu respondo: ‘Tudo aquilo que você faz’.

Hoje vivemos uma crise de integridade. Há muita gente com Carisma, mas sem caráter. As pessoas não estão tão preocupadas mais com esta virtude interior. Apenas vêem as coisas e as pessoas como produto de marketing. O ditado que diz que os fins justificam os meios, tem campeado até dentro das igrejas. 

Integridade é o selo de nossa vida. É o quanto você vale. Isso não significa se você é a pessoa mais completa, pois integridade não quer dizer isso. Integridade tem a ver com dignidade. A coisa mais terrível é quando o seu nome e a sua dignidade são colocadas em cheque. A integridade não se adquire da noite para o dia. É preciso tempo. É preciso experiência. É preciso levar em consideração o que já se fez, é preciso ter história. E esta história se for digna, parecida com a de Nosso Senhor, revelará o caráter de Cristo que há em você. Esta integridade deve nos conduzir a persistirmos mesmo em tempos chamados “difíceis”. Quando nos lembramos dos fariseus e saduceus da época de Jesus, vemos claramente que eles eram muito devotados a Lei ao sistema social e religioso, mas não possuíam integridade não passavam de pessoas vazias. O Rei David era íntegro não porque era completo, mas por que era sincero e verdadeiro para com Deus. Seus Salmos revelam o quanto ele o amava apesar de tantas vezes ter sido reprovado. Tantas quantas foram suas reprovações tanto quanto revelou o coração sincero para com Deus, isso é dignidade, isso é integridade. Portanto, não abandonem a busca pela integridade. 

Em quarto lugar, “Nunca percam a visão missionária”. 
A visão tem a ver com amplitude dos olhos de Deus. Nem todos estão indo aos campos missionários, mas todos devemos ver a mundo como Deus vê. Hoje o que melhor temos em nossas igrejas é a missão e visão missionárias restritas a um departamento ou um grupo que fale ou faça a missão. Para que a missão de Deus seja eficaz em nós precisamos de igrejas visionárias. A visão de Deus é que fará de vocês grandes pessoas. Não podemos olhar apenas para nossas denominações, temos que olhar para o Reino de Deus. Quando olhamos como Deus olha e vemos como Deus vê, aprendemos a nos submeter ao Espírito Santo que é como um vento que “sopra onde quer, e não sabemos de onde ele vem e nem para onde vai”. Uma das frases mais impressionantes do Pai das Missões Modernas, o missionário William Carey é: “Esperai grandes coisas de Deus, Empreendei grandes coisas para Deus”. É a visão que nos motivará a dinâmica da vida e de nossos ministérios. São as obras que são a consequência de nossa visão. É a visão que nos fará pessoas determinadas e persistentes, é a visão que nos fará correrem riscos por amor a Jesus. Portanto, jamais percam a visão missionária.

Termino com outra frase, desta vez de Lester Sumral. Ele diz: "GENTE VITORIOSA SÃO PESSOAS MUITO ESPECIAIS. SÃO AQUELAS PESSOAS QUE TEM A HABILIDADE DE VER ALEM DOS PERIGOS, DOS RISCOS, DOS OBSTÁCULOS E DAS DIFICULDADES." 

Que Deus os abençoe. Seja o que acontecer se lembrem dos seus princípios, da sua fidelidade a Cristo, da busca de uma vida com integridade e jamais deixem de ver o mundo com os olhos de Cristo, essa será a visão missionária de vocês. E esperem aquela grande declaração de Nosso Senhor quando vocês estiverem diante dele: “Servo bom e fiel, foste fiel no pouco, sobre o muito te colocarei”! 

Sim, mais uma vez, muito obrigado pelos cafezinhos no meio das aulas.

Nenhum comentário: