sexta-feira, 19 de abril de 2013

O DRAGÃO E AS BESTAS SAÍDAS DO MAR E DA TERRA


Já vivemos o Apocalipse. De fato, já faz muito tempo, desde o Pentecoste. A igreja de Nosso Senhor Jesus enquanto vive, antecipa a concretização do Reino de Deus. Em todas as gerações dependendo de sua relação com Cristo, a igreja sofre esperando a “Parousia” (a volta do Senhor) sendo confortada pelos Anjos de Deus e pelo Espírito Santo. Enquanto isso o Dragão que foi enviado a terra tem perseguido os discípulos do Mestre, procurando seduzir e engodar e até mesmo destruí-los. 

Nestes séculos de existência, nem sempre a igreja conseguiu discernir os elementos que fazem parte deste empreendimento “dragônico”. O Apocalipse descreve os servos do Dragão (Ap 12 e 13). São eles o Anticristo e o Falso Profeta. Ambos representam os Poderes ‘Político-Econômico’ e ‘Religioso’. 

Muito mais que uma pessoa o Anticristo é um sistema poderoso que domina a humanidade e explora-a financeira-política e socialmente. E é o que está acontecendo agora, de maneira muito mais potencializada do que antes. As uniões e conchavos políticos globais, o domínio das grandes potencias ocidentais e orientais em alianças com o poder tecnológico, por meio da globalização e o sistema consumista tem explorado o mundo e os filhos de Deus. Assim como o Império Romano na época de nossos Pais Apostólicos que exerceu o domínio explorando e perseguindo a igreja, assim estes poderes estão a explorar e escravizar a igreja de hoje. 

O Falso Profeta é um sistema religioso que aponta para o Anticristo (sistema político). Domina-se o povo, a partir de um sistema religioso. Isso porque tudo pode ser feito em “nome de deus”, porém sem dar-lhe a glória devida. A “besta saída da terra” (o Falso Profeta) é um sistema religioso que engana e explora a fé de todos levando-os a glorificar a “besta saída do mar” (o Anticristo). Longe de ser apenas uma denominação, o Falso Profeta se caracteriza pela ideologia religiosa de massa. Esta ideologia religiosa está semeada em todas as religiosidades. Onde Cristo não é Senhor de fato e não é glorificado de fato, onde há o antropocentrismo (o homem no centro de tudo), aí está a presença do Falso Profeta, independente da “cor denominacional”, do “estilo de culto” ou da “forma de espiritualidade praticada”. 

Durante a história nem sempre os Filhos de Deus (a igreja) souberam distinguir estes elementos e sistemas e por isso muitos sucumbiram ao poder do Dragão, a antiga serpente, que é o Diabo. Ser cristão é muito mais do que atender a uma Confissão Discursiva de Fé. É compreender-se seguindo ao Cordeiro em todos os seus princípios de vida. A igreja brasileira precisa ser sensível para que não seja engodada pelo Falso Profeta e pelo Anticristo. Eles já estão em grande atividade. Enquanto isso não acontece, ela jamais será perseguida e certamente estará ainda vivendo como as igrejas da Ásia Menor no fim do Século I. 

“Vigiai e Orai” para que não entreis em “tentação”. Esse foi o pedido do Mestre, pois a sedução do poder, do dinheiro e da posição, são apenas indícios de uma vida “caricaturada” de Cristo, mas “dominada” e escravizada pelo Dragão. 

Nenhum comentário: