sexta-feira, 26 de abril de 2013

A CAVERNA DO CORAÇÃO




“Senhor, ensina-nos a orar!” 

O local mais ermo da vida humana é o coração. As maiores realizações de uma pessoa brotam do coração. Para Deus o coração é centro da vida. Nosso Senhor Jesus afirmava que o lugar mais belo e ao mesmo tempo mais tenebroso é o coração. O profeta Jeremias dizia que o coração é “enganoso e mais corrupto de tudo que existe”. O livro de Provérbios nos diz que é do coração que procedem as fontes da vida. Portanto é o coração do ser humano o lugar onde encontra-se a vida ou encontra-se a morte! 

Assim, os Salmos nos ensinam que toda a relação humana quer visível, quer invisível parte do coração, do recôndito, do lugar secreto ou do oculto de alguém. Ali se travam as maiores lutas de uma pessoa, ali se conquistam grandes prêmios. Por isso a metáfora do “coração” é tão importante nas Escrituras. 

Muitos homens e mulheres de oração e contemplação na história denominavam o coração como um “castelo interior”. Também vemos a figura do coração como uma caverna. Nesta caverna encontramos o melhor lugar para a oração. Se buscamos a Deus com o coração, o Espírito Santo vem até nós e passamos então a nos encontrar com ele neste ambiente e ali O experimentamos de fato. 

A CAVERNA NOS CHAMA AO ISOLAMENTO. Hoje nos encontramos numa sociedade barulhenta. Nossa ideia de encontro com Deus para muitos deve conter palavras e muito som. Mas é no isolamento, na caverna do coração onde ficamos mais propensos e sensíveis a voz de Deus. Não existe possibilidade de Deus falar no ruído, na turbulência. Deus somente fala quando entramos em nossa caverna e ali ouvimos uma única voz. Fora dela nos deparamos com muito som, barulho e muitas outras vozes. 

A CAVERNA NOS CHAMA A PROFUNDIDADE. Nosso mundo é um mundo de superficialidade e insensibilidade. Estamos vivendo na aridez espiritual porque não temos mais tempo para buscarmos a Deus em profundidade. A caverna é o lugar onde podemos tratar com Deus e sermos tratados por ele. Nossa real visão de nós mesmos deve acontecer de modo profundo e nunca superficialmente. Para termos a intimidade dele devemos nos aprofundar na experiência divina. Necessitamos conhecer Cristo não de “ouvir falar”, mas de contemplá-lo no recôndito do coração. 

A CAVERNA NOS CHAMA A QUIETUDE. Muitos acreditam que a oração é um discurso, um diálogo verbal que travamos com Deus, mas muito mais do que isso, a oração é um encontro, uma experiência, uma relação íntima que somente aquele que vai ao seu próprio coração e o abre para este encontro com Deus, o encontrará e travará uma profunda experiência com o Todo-Poderoso. A contemplação de Deus no coração vale mais do que muitas palavras. Não devemos lutar por um silencio externo, mas um interno, dentro de nós.

Precisamos urgentemente descer à Caverna do coração. Se você quer conhecer a Deus, com certeza, ele não estará fora de você. Ele estará sim, no recôndito. Ali Deus está lhe chamando para conhecê-lo. Não use muitas palavras. Aquiete-se. Deixe o encontro acontecer. Ali na caverna ele se revelará a você, diariamente, ininterruptamente e intensamente. Peça a Nosso Senhor: “Senhor, ensina-me a orar”! 

Nenhum comentário: