sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

UM VAZIO DO TAMANHO DE DEUS



Desde o tempo mais primitivo, o ser humano luta pelos seus ideais como que vivendo em função deles. A tentativa de se sentir satisfeito e em paz, de vivenciar o belo e o bom, de lutar por se tornar a essência de tudo e de todos, são na verdade indícios que todos vivemos para nos satisfazer com alguma coisa ou alguém que possa preencher os buracos de nossa vida. Isso revela que há um grande vazio dentro de nós que é maior do que um “Buraco Negro”.

Segundo a Teoria da Relatividade, “um buraco negro é uma região do espaço do qual nada, nem mesmo objetos que se movam na velocidade da luz podem escapar”. Maior do que isso, o coração do ser humano possui o maior Buraco Negro de qualquer Universo. Blaise Pascal afirmou que “há um vazio no formato de Deus no coração de todo homem”.  

Não percebemos que nosso desejo por conquista, por prazer, por satisfação, é na verdade uma tentativa por encher o vazio que existe dentro de nós e que este mesmo vazio somente pode ser preenchido pelo verdadeiro relacionamento com o Divino? Por causa desse vazio colocamos nossa fé, nossas esperanças, nossa confiança em pessoas, coisas e objetos que jamais poderão fazer o que o “Deus-Homem” pode fazer.

Portanto, lhe desafio a redirecionar seu foco, suas esperanças, suas forças, seu entendimento e sua alma a Deus e somente a Deus. O que resultar desse relacionamento nutrido e alimentado virá como um benefício, mas jamais como fim em si mesmo. Quanto dinheiro você já não gastou, quanto esforço você já desperdiçou, quantas alegrias você abafou, porque esperou em outra coisa e não em Deus?

Quantos querem um relacionamento profundo e prazeroso em sua profissão, com um animalzinho de estimação, com um cônjuge, com um filho e até em sua religião e com a igreja? Nada disso, absolutamente, pode levar qualquer ser humano a uma satisfação plena, profunda, intensa e duradoura.

E consequentemente quando somos traídos, abandonados, escanteados, nos frustramos, nos decepcionamos, nos matamos, nos odiamos, por que Deus ainda não “tampou” este buraco tão grande que somente Ele pode preencher. Quando falamos de Deus, não falamos de algo racional, dogmático ou confessional, falamos de Deus como experiência encarnada como a presença do próprio Deus dentro nós. O que você fará? Vai continuar “tampando o sol com a peneira”? Alimente-se de Deus todo dia, toda hora, todo momento e será assim verdadeiramente feliz e satisfeito.

Nenhum comentário: