sexta-feira, 25 de maio de 2012

NÃO HÁ MAIS CÂNCER




Amigos,

falei com Marília, nossa irmã e amiga que acompanha Ivanir diariamente no Hospital Samaritano. Ivanir, hoje fez um petscan, exame para detectar se há ainda células cancerígenas em seu corpo. E para a glória de Deus e a alegria de nossos corações, Ivanir está curada do câncer. Chore de alegria por que estou chorando aqui. Louve a Deus, Senhor da vida e dono de tudo e de todos. 

E faça comigo esta oração: Óh Senhor, Em todo o tempo e em toda a hora, no céu e sobre a terra, Tu és adorado e glorificado, ó Cristo nosso Deus; lento para a cólera, compassivo e rico em piedade; amas os justos e perdoa aos pecadores. Chamas todos os homens à Salvação para a promessa dos bens futuros, pois Tu és bendito pelos séculos dos séculos. Amém!

Agora Ivanir receberá as suas células-tronco e esperará um tempo para que elas se reproduzam. Louvamos a Deus por cada pessoa, que pode contribuir para que Ivanir recebesse esta benção de Deus.

Um grande e alegre abraço meu irmão e minha irmã.


quinta-feira, 24 de maio de 2012

NOVAS DE IVANIR II


Queridos amigos,

Acabei de falar com Ivanir pelo Telefone. Foi emocionante. Ela está bem. Embora debilitada, mas muito esperançosa, pois o tratamento está chegando no final. Falamos por quase 10 minutos, nos emocionamos em ver a graça de Deus e o seu poder através das pessoas e das situações. Saiba que você foi  e é muito importante para que o tratamento e a cura plena do câncer possa acontecer.

Ivanir, pediu que agradecesse a todos vocês que estão orando por ela e pelo tratamento. Ela confessou que em momento algum tem deixado de sentir a presença de Cristo e dos anjos ao seu redor.

Ivanir amanhã passará pela sessão de reolocar as células-tronco. Continuemos a orar por ela e por este momento essencial para que em alguns dias o seu organismo comece a reproduzir as celulas sadias.

Nossa gratidão ao Espírito Santo e a você que continua ao nosso lado em espírito.

Ore por amanhã.


terça-feira, 22 de maio de 2012

24 ANOS DE MINISTÉRIO ORDENADO



Hoje, dou graças as Deus pelos 24 anos de Ministério Ordenado da Igreja. Deus tem sido misericordioso comigo e com minha família. Minha gratidão a você que ora pelo meu ministério.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

IVANIR VOANDO PARA O RIO - HOSPITAL SAMARITANO



Acabei de deixar Ivanir Baracho com seu filho Lucas Baracho no Aeroporto dos Guararapes no Recife. Ela estará fazendo uma conexão em Salvador e depois viajando até o Rio, onde dará entrada no Hospital Samaritano.

Estará iniciando o tratamento contra a leucemia e de onde, cremos sairá, para retornar ao Recife, curada. Queremos agradecer a todos aqueles que puderam doar para que este tratamento pudesse ser feito.

Ainda não conseguimos fechar o valor total, mas cremos que poderemos conseguir fechar o valor total. Se você puder doar ainda dá tempo.

Faça sua doação:

Banco do Brasil
Ag: 1833-3
C/C: 202233-8
Ivanir Verissimo de Lima Baracho

Por favor ore junto conosco. Amanhã começará o tratamento com poliquimioterapia. Oremos pela vida desta guerreira de Deus. Este tratamento deve durar pelo menos 7 dias.

Nossa gratidão,

Luiz Augusto, pr. de Ivanir

quinta-feira, 10 de maio de 2012

MULHER, MATRIMÔNIO E MATERNIDADE


  

A mulher sábia faz do seu lar um paraíso, mas a mulher tola, sozinha, estraga a vida de sua família. Provérbios 14.1

Em toda a humanidade a partir das grandes nações do mundo antigo, se perpetuou para as outras gerações da história o sistema patriarcal. A Bíblia foi escrita durante há quase 16 séculos, tendo como base este sistema. Então não é para menos que tenhamos hoje uma crise nos sistemas social-familiar-econômico e político da vida.

A sociedade e a religião ainda que queiram transmitir uma mensagem de Deus com "cara de macho”, não consegue se desvencilhar da importância da imagem feminina que exerce a mulher sobre todas as instituições. No caso da religião é pior, pois durante séculos a mesma tentou revelar um “deus-macho”, masculinizado e empobreceu a imagem de Deus no ser humano, dominando e oprimindo a mulher por gerações, tornando-a um mero objeto de uso, sedução e reprimindo a sua liderança natural. E ao invés de torná-la participante da vida como “uma-igual”, o homem usou todas as ferramentas disponíveis para subjugá-la e submetê-la, pois o mesmo devido ao medo da liderança feminina transformou a vida da mulher num cativeiro em todos os aspectos.

Há quem diga que o homem é o responsável pela edificação de sua família. Mas não é bem assim. A começar da criação, o homem jamais seria completo se a mulher não se fizesse presente. Quando Elohim decidiu criar o ser humano, Ele o fez de tal maneira que homem e mulher, juntos, unidos, comungados, seriam vistos como reflexo da “imagem de Deus”, nunca somente o homem. É a mulher que abre o ventre para dar à luz a vida. É a mulher que sustenta a família, pois sem ela o homem é um mero reprodutor. É a mulher que amamenta, alimentando o próprio homem, nutrindo a vida humana, pois sem o leite materno qualquer ser humano se tornaria mais suscetível às doenças de qualquer gênero. É a mulher que enfim, pode fazer acontecer a perpetuação da espécie.

A mulher é tão especial que até alguns dos que foram nascidos machos, desejam ser como ela, tentando reproduzir uma natureza que só a elas foi dado, o que na verdade, revela a essencialidade da liderança feminina sobre todos os outros seres.

Embora a Bíblia seja um livro patriarcalista, ela não deixa de revelar que sem a mulher o matrimônio não exsite. Digo matrimônio, pois o casamento como acordo temos muitos, mas matrimônios existem poucos. A palavra matrimônio vem da raiz da palavra “mater”, isto é mãe. Isso significa que o matrimônio somente existe se estiver fundamentado na figura feminina.

Hoje, a sociedade e a igreja precisam urgentemente repensar o lugar da mulher, pois Deus em sua infinita soberania está permitindo que as “pedras clamem”. E enquanto as instituições lutam pela manutenção do patriarcalismo, a mulher está dominando os altos escalões da vida, pela sua competência e sua natureza guerreira, algumas vezes motivada pela má compreensão da sua feminilidade, outras vezes por que sabem que são a essência da sociedade.

No caso da celula-mater, a família, não é o homem sábio que edifica a sua casa, mas sim a mulher. O contrário também é verdadeiro. A mulher insensata que não age de acordo com a vontade divina pode colocar tudo a perder, até a própria vida.

Neste dia que celebramos o dia das mães, que elas possam repensar a posição tão importante que Deus permitiu ocuparem. Que os homens sejam capazes e sábios para que dêem a elas a honra e o lugar que foi criado para as mesmas. Mulheres construam, mas não se esqueçam de construir com a sua feminilidade e doçura, pois Deus só comunicou a vocês o que é parte de Sua essência, a argamassa para levantar vidas, famílias, comunidades e nações.

Feliz dia das mães.

sexta-feira, 4 de maio de 2012

LEVI, MEU GRANDE AMIGO!


Em homenagem por 10 anos da morte de Levi Accioly Lins
"Porque a ninguém tenho de igual sentimento que, sinceramente, cuide dos vossos interesses; ... e conheceis o seu caráter provado, pois serviu o evangelho, junto comigo. Por um lado, meu irmão, cooperador e companheiro de lutas; e por outro lado, vosso mensageiro e vosso auxiliar nas nossas necessidades. Honrai sempre a homens como esse... visto que por causa da obra de Cristo, se dispôs a dar a própria vida, para suprir a vossa carência de socorro para comigo". Filipenses 2.20,22,25,29,30

Levi Accioly Lins foi educado e instruído na disciplina do Senhor. De uma família presbiteriana, seu pai foi um dos fundadores da Igreja Presbiteriana da Madalena. Sua mãe, fiel serva de Deus, encaminhou-o na vida cristã e na igreja.

Sua instrução cristã foi além de sua parentela. Amigo dos filhos de missionários fundadores das instituições presbiterianas de Pernambuco, morou por algum tempo com a família Arehart, fundadora do Instituto Bíblico do Norte, em Garanhuns, PE. 

Experimentou a bênção de estudar por alguns anos no histórico Colégio XV de novembro, e teve sua educação fundamentada no Colégio Agnes Erskine. Sua experiência com vários missionários americanos, foi parte integrante de sua educação.
Era o caçula dos irmãos e em certo momento de sua juventude, tomou a decisão do filho pródigo como conta-nos a parábola de Lucas 15. Deixou sua família no Recife e foi para o Rio de Janeiro "tentar a vida". Abandonou os ensinos cristãos e dissolutamente gastou sua vida entre a classe artística do Rio de Janeiro nas décadas de 60 e 70. Passou 20 anos, longe da fé, chegando a tornar-se um dos carnavalescos mais conhecidos em sua época, trabalhando diretamente na Escola de Samba Império Serrano.
Desenvolveu ali os talentos e habilidades que possuía, mas não era definitivamente feliz.
Sua felicidade, tornou-se plena e concreta, quando Deus o chamou na cidade do Rio de Janeiro, na Igreja Presbiteriana de Copacabana, passando ao lado da Igreja ouviu o cântico: "Meu coração transborda de amor... por que meu Deus é o Deus de amor"! Seu coração desabrochou e sua alma voltou-se para Cristo. Deus na sua infinita misericórdia e graça, soberanamente o chamara para voltar ao lar. E Levi embora vivendo em uma das coberturas dos edifícios na avenida Copacabana, rejeitou radicalmente sua maneira de viver e retornou para o Recife. Mas sua saúde nestes tempos já era débil, conseqüência do estilo de vida longe do Senhor.
Retornando ao Recife, com um câncer nas costas, Deus o curou, dando a segurança e garantia de sua graça em seu coração. A partir dali, devotou-se ao serviço de Cristo como membro da Igreja Presbiteriana da Madalena, foi acompanhado pelo seu pastor Rev. Edijéce Martins Ferreira e eleito diácono, onde serviu por longos anos. Sua eleição para presidente da Junta Diaconal, foi apenas o referendum de sua dedicação. Fosse na assistência social, fosse na ajuda para qualquer atividade extra igreja, estava lá, Levi, o fiel cristão e dedicado. Tal foi sua fidelidade ao trabalho de Deus, que ao completar 50 anos de fundação a Igreja Presbiteriana da Madalena, conferiu-lhe uma homenagem sincera e cheia de gratidão pelos serviços prestados e pelo fiel testemunho cristão ao longo dos anos. 

Ali, Levi pôde cursar e formar-se no Instituto Bíblico Samuel Falcão, extensão do Instituto Bíblico do Norte de Garanhuns e se concentrando especialmente no estudo do Antigo Testamento, se especializou, tendo instrução direta do missionário holandês Dr. Francisco Leonardo Schalkwijk. Seus estudos sobre o Tabernáculo, o levaram à várias igrejas e congregações com seu flanelógrafo e seus ensinos sobre a Soberania de Deus e a vida Cristã. Seu envolvimento no apoio e ajuda aos seminaristas do Seminário Presbiteriano do Norte, o tornou conhecido por muitos pastores que hoje estão espalhados pelo Brasil e pelo mundo.
Mas o seu serviço despretensioso, que marcara a vida da I.P. Madalena agora se expandia. Em 1995 chamado pelo então Diretor do IBN, Rev. Maely Ferreira Vilela, aceitou o convite para ser professor da área de Antigo Testamento onde perseverou na multiplicação de missionários e missionárias que hoje estão batalhando nos campos de todo Brasil.
Com a chegada de seu amigo e irmão, Rev. Luiz Augusto Corrêa Bueno para a direção do IBN em 1996, Levi desenvolveu não somente o ministério docente como também de coordenador geral do internato dos alunos. Seu carisma e sua dedicação aos alunos, bem como a experiência com os missionários americanos do passado o havia habilitado para ser líder ali. 

Mas esta função era apenas oficial, pois o ministério de Levi extrapolava o cumprir estes mandatos. Era o conselheiro, o pai, o irmão, o professor, o cozinheiro, o alfaiate, o administrador, o decorador, o pintor, o pedreiro, o evangelista, o missionário, o pastor, o defensor dos alunos, o fiel amigo de todas as horas.
Foi ao longo deste ministério no IBN, que hoje esta escola missionária se desenvolveu ainda mais. Com a chegada do administrador Diácono Wagner de Siqueira Felipe, Levi se dedicou fortemente ao trabalho de liderar o internato do IBN.
Mas sua saúde era extremamente fraca. No Natal de 2000, precisou fazer uma angioplastia. E no dia 3 de maio de 2002 foi internado em uma clínica em Garanhuns, e após um AVC, não conseguindo resistir a esta situação, Levi foi chamado à glória de Deus. Seu sepultamento se deu no dia 4 de maio, Domingo, no Cemitério Parque das Flores no Recife.
Levi Accioly Lins, marca a vida não somente da Igreja Presbiteriana do Brasil, mas também do Reino de Deus. Exemplo de vida, testemunho e dedicação ao ser humano, Levi foi instrumento de Deus para a formação vocacional de muitos que passaram pelo IBN em Garanhuns, e continuará na memória de todos aqueles que hoje estão pelos campos, a serviço do Senhor. Sua vida é motivo de rendermos toda glória e honra ao Senhor Jesus, que regenera, cuida, vocaciona e usa servos como Levi. A Deus toda glória e louvor.
Rev. Luiz Augusto Corrêa Bueno
ex-Diretor do Seminário Presbiteriano do Norte e ex-diretor do Instituto Bíblico do Norte amigo pessoal de Levi Accioly Lins

NOVAS SOBRE IVANIR


Irmãos e Amigos,
hoje estive com Ivanir, apesar de debilitada por causa da enfermidade, ela se mostra firme e motivada para o tratamento. Ela verificou que as ofertas começaram a chegar, porém ainda precisamos chegar aos R$ 10.000,00, pois sem este valor não terá como concluir o mesmo no Hospital Samaritano no Rio de Janeiro. Pelo mais uma vez, por favor vamos ajudar a Ivanir. Gastamos tanto com supérfluos, investimos tanto em nós mesmos. Se cada um pudesse doar pelo menos R$ 50,00, teríamos já nesta semana quase todo o dinheiro.

Vamos orar pelo Lucas seu filho. Ele é um adolescente com muita saúde. Mas que precisa dar apoio a sua mãe. Louvamos a Deus por todos que já fizeram suas doações, além de igrejas e presbitérios também.

Pedimos que orem muito pois no dia 17 ela deverá estar no Rio e começar um tratamento com uma poliquimioterapia.


Se você desejar faça sua doação. A Conta que coloco aqui é da própria Ivanir.
Banco do Brasil
Ag: 1833-3
C/C: 202233-8
Ivanir Verissimo de Lima Baracho


No amor de Cristo,

Pr. Luiz Augusto

MUITO TURISMO EVANGÉLICO E POUCA AÇÃO MISSIONÁRIA

Há muita propaganda e pouca identificação. Há muito turismo missionário e pouca inserção. Como as igrejas estão testemunhando de Cristo? Devemos ser corajosos para avaliar as estratégias e métodos que usamos para comunicar o Evangelho. Não é suficiente usar do “marketing” e da “mídia” para o anúncio das Boas Novas.  Também o turismo missionário somente nos serve para conhecer e manter trabalhos denominacionais nos bairros das grandes cidades e interiores do país. A grande questão é: “estamos dispostos a encarnar nos contextos sociais, urbanos e rurais, no meio das pessoas de modo comum”?

Não precisamos de “avivamento coreográfico”. Isso não produz absolutamente nada apenas gritaria e sensacionalismo. Necessitamos urgentemente saber o que é evangelizar segundo a “evangelização de Jesus Cristo”. Sem uma interpretação correta da Sua missão, não há missão da igreja. Precisamos rejeitar idéias usadas pelo movimento evangélico que nada mais são do que métodos utilizados pelo mundo empresarial e de mercado.

Precisamos de uma missão parecida com a de Jesus de Nazaré. Precisamos parar de “pescar no aquário” de outros. Para que cumpramos nossa missão devemos redescobrir a “encarnação de Cristo como modelo de nossa missão”.

A nossa missão deve ser estimulada e fundamentada pela missão de Cristo. Devemos nos perguntar: O que é a missão de Cristo? Como Cristo falava? Como Cristo ensinava? Como Cristo curava? Enfim, como Cristo se envolvia com seu mundo? Então vamos achar as respostas e seremos desafiados pelas suas palavras: “assim como o Pai me enviou, eu também vos envio” (Jo 20.21). Jesus Cristo, portanto é o modelo para que nós realizemos nossa missão. Devemos seguir o padrão que o Pai usou para enviar seu Filho.

Enquanto a igreja não abrir mão da situação econômica, isto é, parar de pensar só em dinheiro e se contextualizar no meio das pessoas e comunidades não haverá missão de Cristo. Enquanto a igreja não “arregaçar as mangas” e “colocar os pés na lama”, a evangelização não será verdadeira.

Identificar-se com Cristo é se envolver com pessoas, as mais diferentes e as mais variadas. Quanto mais nos identificamos com Cristo mais nos envolvemos com mundo a nossa volta. O contrário também é verdade. Portanto nossa missão tem que ser mais do que proclamação verbal. Deve ser de serviço, encarnado na vivência da gente, deve ser modelado pelo jeito de Cristo, apaixonado, com sentimento e dinamizado pela criatividade e inteligência de cada um.

Nossa evangelização deveria não ser feita de discursos e sim de atos de amor, de justiça e de misericórdia. O mundo cansou de ouvir discurso!

SERÁ QUE NOSSA MISSÃO É A MESMA DE JESUS CRISTO?



          Há muita propaganda e pouca identificação. Há muito turismo missionário e pouca inserção. Como as igrejas estão testemunhando de Cristo? Devemos ser corajosos para avaliar as estratégias e métodos que usamos para comunicar o Evangelho. Não é suficiente usar do “marketing” e da “mídia” para o anúncio das Boas Novas.  Também o turismo missionário somente nos serve para conhecer e manter trabalhos denominacionais nos bairros das grandes cidades e interiores do país. A grande questão é: “estamos dispostos a encarnar nos contextos sociais, urbanos e rurais, no meio das pessoas de modo comum”?  
          Não precisamos de “avivamento coreográfico”. Isso não produz absolutamente nada, apenas gritaria e sensacionalismo. Necessitamos urgentemente saber o que é evangelizar segundo a “evangelização de Jesus Cristo”. Sem uma interpretação correta da Sua missão, não há missão da igreja. Precisamos rejeitar idéias usadas pelo movimento evangélico que nada mais são do que métodos utilizados pelo mundo empresarial e de mercado. Precisamos de uma missão parecida com a de Jesus de Nazaré. Precisamos parar de “pescar no aquário” de outros.
          Para que cumpramos nossa missão devemos redescobrir a “encarnação de Cristo como modelo de nossa missão”.
          A nossa missão deve ser estimulada e fundamentada pela missão de Cristo. Devemos nos perguntar: O que é a missão de Cristo? Como Cristo falava? Como Cristo ensinava? Como Cristo curava? Enfim, como Cristo se envolvia com seu mundo? Então vamos achar as respostas e seremos desafiados pelas suas palavras: “assim como o Pai me enviou, eu também vos envio” (Jo 20.21). Jesus Cristo, portanto é o modelo para que nós realizemos nossa missão. Devemos seguir o padrão que o Pai usou para enviar seu Filho.
          Enquanto a igreja não abrir mão da situação econômica, isto é, parar de pensar só em dinheiro e se contextualizar no meio das pessoas e comunidades não haverá missão de Cristo. Enquanto a igreja não “arregaçar as mangas” e “colocar os pés na lama”, a evangelização não será verdadeira.
          Identificar-se com Cristo é se envolver com pessoas, as mais diferentes e as mais variadas. Quanto mais nos identificamos com Cristo mais nos envolvemos com mundo a nossa volta. O contrário também é verdade. Portanto nossa missão tem que ser mais do que proclamação verbal. Deve ser de serviço, encarnado na vivência da gente, deve ser modelado pelo jeito de Cristo, apaixonado, com sentimento e dinamizado pela criatividade e inteligência de cada um.
          Nossa evangelização deveria não ser feita de discursos e sim de atos de amor, de justiça e de misericórdia. O mundo cansou de ouvir discurso.