segunda-feira, 12 de novembro de 2012

TRIBUTO A UM AMIGO - Túlio Vinícius


"Amigo é coisa pra se guardar do lado esquerdo do peito". 

Túlio é uma daquelas pessoas que a gente não tem jeito de esquecer. Foi em 2005 quando tive a alegria de conhecê-lo em sala de aula. Ainda me lembro que estava numa das salas do Seminário Teológico Episcopal Carismático e Túlio e sua querida Chica chegavam para assistir as aulas de Introdução e Análise dos Evangelhos e Atos.

Sempre incansável e pronto, me chamou muito a atenção pela paixão com que falava de Jesus Cristo e pela alegria que brotava de seu coração com as suas imensas gargalhadas. A amizade nasceu, cresceu e se desenvolveu. Nos encontrávamos semanalmente, para tomar um café ou um lanche a noite depois das aulas. Túlio, médico ortopedista, tornou-se meu médico para as mais variadas dores que sentia. Aquela época eu passava por uma depressão profunda, cheio de remédios e sob tratamento pisiquiátrico e psicológico.

Às vezes que nos encontrávamos, Túlio me passava a paixão pelos  Cantos Gregorianos. Embora estivesse casado com o amor de sua vida "Chica", não deixava de falar sobre o Silêncio, a Teologia Apofática e sobre tantos outros assuntos que envolviam a espiritualidade ortodoxa advindas de Antão, Pacômio e Bento de Núrsia. Túlio tornou-se por breve período um noviço do Mosteiro dos Cartuxos no Sul, antes de se casar.  Que felicidade foi a minha quando ele começou a ensinar no mesmo Seminário que eu ensinava. Chegamos a ministrar aulas em conjunto. Eu desenvolvia assuntos relacionados a Missão da Igreja e ele ensinava os episódios da História da Igreja uma mesma aula para os alunos do Bacharel em Teologia. Havia ali uma interdisciplinariedade dos assuntos históricos e missiológicos.

Passei pela separação em meu primeiro casamento e esta crise desencadeou uma série de situações inesperadas. Me sentia sozinho voltando a morar num dos quartos do Seminário Presbiteriano do Norte, onde eu havia sido aluno, professor, capelão e diretor. Voltar a morar só ali, sem a presença dos filhos, me deixou dores terríveis que somente a Graça de Deus poderia curar.

Depois de quase 12 meses ali morando, num de nossos encontros Túlio me disse: "Arranje um apartamento para você morar, vou pagar seu aluguel. Não quero ver meu amigo mais ali". E durante quase 6 meses até sua partida, Túlio foi o instrumento de Deus para que eu retornasse a vida, uma vez que quase havia perdido as esperanças do recomeço.

Um dia Túlio me confidenciou: "meu amigo não vou ficar muito tempo por aqui, estou sentindo que vou partir logo". Mas de fato aquilo já era o início de sua jornada para a Grande Passagem. Túlio acometido de Câncer, lutou bravamente contra a doença. Acompanhei-o por meio de visitas a sua casa e no hospital, mas Túlio foi levado para junto do Senhor no dia 15 de novembro de 2009.

Naquela última semana, já falando bem baixinho, ele me disse: "Está acabando, mas está começando tudo de novo". Eu sabia o que ele queria dizer: Ele ia começar tudo de novo. Agora gozando das mais gloriosas e prazerosas presenças do Senhor, dos anjos e dos santos aperfeiçoados.

Já faz 3 anos que ele se foi. Mas está vivo, não somente nos céus, mas em nossas mentes. Por tudo que ele viveu, e como viveu, um dia nós nos reencontraremos para sempre. Nossos corpos serão ressuscitados e viveremos para sempre com todos os que amaram a Cristo, por toda a eternidade.

Jamais poderei agradecer plenamente por tudo que Cristo fez por você e através de você, meu amigo.

"Louvamos-te Óh Senhor, por nos dares o Tulio, agradecemos-Te por levares o Túlio. De fato, o mundo não era digno de ter por muito mais tempo este teu filho, lampejo da Luz verdadeira"

Saudade meu irmão Pacômio ( nome de batismo de Túlio no mosteiro).

Kyrie eleison!


Nenhum comentário: