sábado, 7 de julho de 2012

QUAL A CAUSA DE CRISTO?



A maior causa que Jesus Cristo defendeu foi o “bem do ser humano”. Sendo assim Ele mesmo questionou tudo que não envolvia este bem. Vê que as instituições e tradições são boas até que sejam usadas como instrumentos deste bem ao homem. Quando isso não acontecia, Ele relativizava-os. 

Jesus Cristo levou uma vida de fidelidade à Lei, porém não hesitava tomar atitudes contrárias à Lei. Quando Ele participava do ritual, pregava que somente a sinceridade do coração poderia dar pureza perante Deus. Permitia que o chamassem de beberrão e comilão e questionava o jejum sem sentido. Quando falava sobre a guarda do dia de sábado, mostrava que o homem é a medida do Sábado e da Lei e não o contrário.

Por isso Jesus Cristo escandalizava, pois relativizava as estruturas sem sentido, sem um fim. Ele questionava a Lei e todo sistema religioso-social, pois os mandamentos existiam para o bem das pessoas. Para ele a Lei não deveria ser suspensa ou abolida, mas a pessoa era mais importante que o cumprimento da Lei. O ser humano era mais importante que a Ordem Legal. A humanidade vem em primeiro lugar antes do Legalismo e do Dogmatismo. Todas as normas e Instituições deveriam depender de uma só pergunta: “Elas existem para o bem das pessoas”? 

Por isso Jesus Cristo questionava o templo e o culto. Dizia que a reconciliação de pessoas e o serviço uns aos outros tinha preferência sobre qualquer evento litúrgico. Mas a Liturgia não deveria ser suspensa ou abolida. O ser humano toma para Jesus o lugar de uma liturgia sem sentido. Pois a liturgia pode se tornar um fim em si mesmo se não houver o objetivo para o bem do ser humano. Humanidade em vez de um formalismo e ritualismo sem sentido. Todos os ritos e costumes, práticas e cerimônias dependiam de um critério: “Existem para o bem do homem ou não”?

Por isso Ele defendeu o amor que permitia ser ao mesmo tempo piedoso e razoável. Que comprovava exatamente o fato de não excluir ninguém, nem mesmo o inimigo, antes estava disposto a servir sem preferências, renunciar sem compensação, perdoar sem fim.

Portanto, Jesus Nosso Senhor pregava que o sistema social deveria servir ao homem e não o homem ao sistema social. Isso produziu a frustração dos religiosos. Ele se envolveu com os pobres, os miseráveis, os que pensavam diferentes, os imorais (prostitutas e adúlteros) os socialmente desprezados (leprosos, doentes), os mais fracos (mulheres e crianças), o povo simples em geral (que não sabiam exatamente as coisas).

Assim Cristo ousadamente anunciava: “Perdão Total”, em vez de castigo legal, inteiramente gratuito. Ele mesmo anunciava o perdão, abrindo a porta da reconciliação e da restauração entre todas as pessoas. Ele anunciava e anuncia ainda hoje a Graça que é de graça.

Adaptado do Livro: “Ser Cristão”

Nenhum comentário: