quinta-feira, 5 de abril de 2012

O LAR CELESTIAL NÃO É O FIM!

Quando Jesus, depois de ressuscitado, se postou no meio dos discípulos e disse: “toda autoridade me foi dada no céu e na terra, ide... fazei discípulos de todas as nações”, ou nas palavras de João, o apóstolo: “assim como o Pai me enviou, eu também vos envio”, o fato da ressurreição era mais forte que a própria mensagem da igreja.

No início da igreja primitiva esta mensagem foi tão impactante que todo o mundo romano da época foi invadido pela pregação dos discípulos de Jesus. O mundo foi saturado de uma manchete viva. Nenhum outro vencera a morte e abrira caminho para a restauração do mundo. O mundo havia sido redimido definitivamente. O reino de Deus começara a fazer sentido. Uma nova era começara. As pessoas precisavam saber que nenhum habitante deste mundo ficaria no túmulo. Haveria ressurreição para todos. O mundo que estava se deteriorando, agora começara a viver uma transformação, o cosmo seria refeito, Deus habitaria fisicamente e eternamente com o mundo criado e restaurado por Cristo.

Porém esta mensagem que foi levada por todos os apóstolos e especialmente por Paulo, pregando sempre “Jesus e a Ressurreição”, como fizera em Atenas e em tantas outras localidades do mundo antigo, foi também desenvolvida e tomara forma na teologia dos “Pais Apostólicos”, depois começou a perder sua força. A igreja se transformou em Instituição e passou a pregar mais uma “salvação da alma” do que uma “redenção do corpo eterno”.

Hoje, a pregação da igreja cristã subestima e empobrece a mensagem da Ressurreição. Quando não se prega uma salvação para ser usada enquanto se vive aqui, com um conteúdo de “prosperidade” prega-se uma mensagem que somente envolve a alma ou o espírito de cada um preparando para um lar celestial.

A ressurreição de Cristo deve ser pregada e anunciada por que:

1- A ressurreição inaugura uma Nova Criação. Somos participantes de um Novo Reino, físico e eterno. Vencer a morte foi o maior ato pelo qual Deus decidiu conferir a restauração da imortalidade e a eternidade a todos os seres humanos. Não somente isso, a terra será transformada (Romanos 8.18-23).

2- A ressurreição revela que o Céu não é final. O lar celestial onde as almas estão aguardam o dia final quando todo o Universo será transformado. Haverá uma ressurreição total. Todos ressuscitarão (João 5.22-25). Se eu crer que somente terei o céu para morar, minha fé é equivocada, pois o Reino de Deus será estabelecido de forma física e eterna.

3- Qualquer pregação sem a ressurreição é parcial e pobre. Não há ressurreição sem a morte e não há morte sem a ressurreição. A páscoa de Cristo não pode ser restrita a uma comemoração cultural e social, por meio de presentes de ovos de chocolate. A páscoa de Cristo é a celebração de um evento que mudou a história do mundo e de todo ser humano.

A ressurreição nos leva a dizer juntos: Maranata, vem Senhor Jesus!

Nenhum comentário: