sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

BUSCANDO UM NATAL QUE FAÇA SENTIDO

O Natal que se vê hoje pode ser sinônimo de várias outras práticas e motivos. Por exemplo, há gente que relaciona o Natal com o sentimento de mais um ciclo que se fecha em sua vida, pelas comemorações do ano que está findando. Outros usam esta data para avaliar e redefinir planos pessoais que envolvem a carreira. Outros ainda não conseguem ver o Natal sem o cifrão sinônimo do Consumismo desenfreado: gastar e gastar, esta é a lei.

Na verdade, o Natal não tem nenhuma relação com os assuntos acima citados. É a data onde toda a Cristandade comemora a encarnação do Deus Criador e sustentador deste Universo. O Natal fala sobre advento do Cristo. O Natal fala sobre a paz que Deus trouxe aos homens de boa vontade, de todas as nações e povos.

Ao festejarmos o Natal falamos sobre a decisão de Cristo em abdicar de Sua glória e tornar-se humano e submetendo-se a lei dos homens (Fp 2.5-8), morrendo, ressuscitando e abrindo as portas de uma nova criação que viverá numa nova terra, física e eterna, cumprindo os princípios da criação original. Portanto, o Natal torna-se o modelo de nossa prática de vida enquanto estivermos neste mundo.

Ao observar a motivação de Deus, sou motivado também a me deixar enviar a toda pessoa, sem distinção de raça, cor, sexo ou religião. Se Cristo veio ao mundo e se tornou homem, o mesmo sentimento deve existir em minha vida a fim de me relacionar com todos e com todas para que de alguma maneira a graça invada outros corações.

Ao observar a intensidade e plenitude da encarnação de Deus, sou levado a avaliar meu nível de submissão a outros, se estou me relacionando de igual para igual com outras pessoas (João 1.14). Quais são as exigências da cruz?
Ao observar o nível de doação de Deus pela humanidade sou questionado pelo seu exemplo se realmente estou me doando e me renunciando em favor de outros, renunciando a glória pessoal, entregando-me em favor de pessoas, respeitando o outros, não usurpando o direito de terceiros (Fp 2.6-9).

Neste Natal, para que esta Festa faça sentido em minha vida, sou admoestado a despojar a minha auto piedade, o egocentrismo consumista e tomar iniciativas práticas em favor de outros, fazendo doação de algo mais permanente do que simplesmente presentes e souvenires.

Neste Natal, tire um pouco de você para dar a alguém algo que seja frutuoso e valoroso. Doe atenção, tempo, talentos, dons em favor de pessoas que você sabe que jamais vão poder retribuir o que você fará. Neste Natal faça uma oferta missionária, renove seu compromisso com o mundo carente, busque renovar relacionamentos que foram quebrados e resgate algo mais durável e cheio de vida. Somente assim seu Natal fará sentido, de outra sorte, será uma mera festa consumista.

Rev. Luiz Augusto

Nenhum comentário: