terça-feira, 4 de outubro de 2011

UM TRIBUTO A MARLY APARECIDA MAROTTI CORREA BUENO

Depois de tanto tanto tempo, ainda me lembro de minha mãe. Ainda choro com saudades dela. Ainda me vejo o menino de 10 anos que acabara de receber a notícia que sua mãe havia partido para os braços de Cristo.

Hoje, especialmente hoje, minha mãe completaria 71 anos de vida. Uma mulher linda por dentro e por fora. Marly foi a primeira filha de Nicolau e Eliza, irmã de Silvio Vitor, que encontrou com Raul e em junho de 1964 se casaram. Posso ser muito suspeito mas Marly era realmente linda. Cabelos curtos, mais alta do que a estatura normal das mulheres. Seus cabelos eram castanho-escuros, possuía um olhar singelo e ao mesmo tempo determinado. Sua pele era branca, sua tez era inesquecível de tão linda como uma porcelana. Se pudesse comparar sua beleza, seria tal como a da famosa Liz Taylor. Mas Marly foi mais. Viveu somente 34 anos. Dos trinta e quatro anos vividos teve dois filhos, Luiz e Andréa.

Marly foi uma mulher e tanto. Muito embora transmitisse uma paz cativadora, jamais deixava de ser austera e principalmente disciplinadora. Era uma Mestra. Marly me ensinou as primeiras letras. Era professora do ensino fundamental. Era cuidadora. Ainda hoje me lembro de minha mãe no balcão da cozinha fazendo meu suco pela manhã sem o qual não poderia deixar de sair de casa para a escola sem ele.

Marly sofria dos "nervos" como se falava na época. Ainda acho que era depressão. O mês de novembro de 1975 foi um dos meses mais pesados pra todos nós. Marly adoeceu mortalmente de Leucemia Linfóide Aguda. Sua vida foi tirada em poucos dias depois do diagnóstico. Eu chorei, a família chorou, Corumbataí toda chorou. Sua vida foi tirada, mas suas marcas continuam em centenas de vidas que foram tocadas pela vida de Marly.

Tenho a plena convicção que, naquele dia quando Cristo renovar todas as coisas, nós nos encontraremos novamente, para jamais nos separarmos. Hoje ainda me lembro, choro as vezes pela saudade, mas espero com confiança no dia, eterno, onde o pranto será substituído pela alegria e a saudade será transformada em presença, abraço, cheiro e renovo.

Senhor, receba minha gratidão por Marly, minha mãe, mulher da Graça e do amor. Mulher frágil e forte. Mulher simplesmente, mulher.

Nenhum comentário: