sábado, 1 de outubro de 2011

Evangelizar X Evangelicalizar

A cada dia que passa sinto mais dificuldade de evangelizar. Isso pode soar até como escândalo para alguns que se contrariam em ouvir de um pastor esta declaração. Há muito “ruído no ar” que atrapalha e complica a comunicação do evangelho verdadeiro.
Há muita coisa, muita mania, muito trejeito, muito palavreado que quer se parecer com o evangelho de Jesus, mas não é. Nas igrejas e congregações locais a pregação é mais ou menos esta: “venha do jeito que for pra Jesus, porque ele é o Deus da Graça”. Mas depois quando as pessoas entram para tal igreja, este evangelho da Graça torna um peso, um “stress”. É irmão virando “detetive” para ver se o outro tá andando conforme as regras da tal igreja. É uma série de normas de um evangelho cheio de esquisitices e imprecações.

Hoje vejo um cristianismo cínico e punitivo. Há milhares de pessoas que se dizem evangélicas e refletem um evangelho “sem a Graça” e “sem graça”. Há outros que se sentem quase semideuses, apresentando para as pessoas um cristo caprichoso e vingador. Parecem que Cristo está somente a serviço deles e eles são o único alvo de Deus. Há muita gente orando em igrejas desejando que Deus se vingue ou que tome a espada contra os seus concorrentes e adversários.

Hoje não se fala mais do evangelho comunitário. Só se houve que Deus está comprometido a dar “vitória” para você. O Deus do evangelho é para você, gira em torno de você, e só se dirige a você. Você é o centro do Universo. Que evangelho megalomaníaco!

Mas o verdadeiro evangelho de Jesus Cristo não é assim. O evangelho de Jesus é aquele que prioriza o amor-caridade antes do amor-sentimento. O evangelho de Jesus é capaz de aceitar a idéia de que o amor está no cerne do universo. Deus está mais interessado em se relacionar conosco do que em que vivamos uma evangelho cheio de “não faças isso”, “não faças aquilo”. É a única ideologia onde se vive “para o outro” e “não sobre o outro”. O evangelho verdadeiro está comprometido na coletividade, no outro, no próximo.

Por isso é difícil de evangelizar hoje. Antes melhor seria calar e silenciar, pois quanto mais se discursa menos se faz. Jesus mostrava que o seu discurso estava em consonância com sua prática. Precisamos falar mais a Jesus. Acredito que quanto menos discursarmos sobre Deus e mais buscarmos nos parecer com Jesus, mais refletiremos juntos a graça e o amor e menos nos pareceremos com os evangelhos que se pregam por aí.

Pelo contrário, o evangelho de Jesus é simples, descomplicado, simplificado, desobstruído, desarticulado, desamarrado, mas ao mesmo tempo profundo, verdadeiro, grave, denso. Eis o desafio, eis o evangelho verdadeiro.

Nenhum comentário: