sexta-feira, 18 de março de 2011

Oração: O respiro da alma

A alimentação e o descanso são indispensáveis para sustentar sua vida física. A oração é o meio pelo qual somos alimentados espiritualmente por Deus.
Deus ama a Sua criação, ama a cada um de nós e Ele é o nosso Pai celeste. Tal como é natural dos filhos o desejo de ver os seus pais e conversar com eles, assim deve ser natural a vontade de nos comunicar e conversar com Ele, espiritualmente. Esta honrosa conversa da pessoa com Deus chama-se oração. A alma juntando-se com Deus durante a oração, junta-se também com o mundo celestial. Segundo as palavras de João de Kronstad , "a oração é a ligação de ouro da pessoa cristã, peregrina e estrangeira aqui na terra, com o mundo espiritual do qual faz parte, e sobretudo com Deus - a fonte da vida."
A oração é geralmente acompanhada muitas vezes de palavras respeitáveis e de gestos externos: os olhos fechados ou abertos, estar de joelhos ou em pé. Porém, a oração, sobretudo pode se elevar sem palavras e sem outras formas exteriores. Essa é a oração profunda interior que é conhecida pela experiência de muitos cristãos consagrados.
Durante a oração, o cristão expõe perante Deus toda a sua alma: louva a Deus pela Sua altíssima perfeição, agradece pela misericórdia e pede conforme as necessidades. Daí temos os principais três tipos de oração: o louvor, o agradecimento e o pedido.
O Louvor é o mais absoluto e desinteressado tipo de oração. Quanto mais sincera é a pessoa, mais se reflete nele a graça de Deus, e refletindo-se, evoca involuntariamente palavras extasiadas de louvor e glória. Assim, os anjos nos Céus louvam Deus sem cessar com um canto de louvor. "O louvor”, diz Teófano Hermesista, “não é uma fria visão dos atributos ou qualidades de Deus, mas sim um vivo sentimento delas com alegria e admiração”.
O Agradecimento manifesta-se na pessoa pela recepção das bênçãos de Deus. Nasce naturalmente numa alma grata e sensível. Dos dez leprosos que foram curados pelo Salvador, apenas um samaritano voltou para Lhe agradecer (Lucas 17:12-19).
O tipo de oração mais habitual é o Pedido que é revelado na pessoa pela consciência da sua fraqueza e falta de experiência. Devido às paixões, a nossa alma está doente e fraca. Por isso, na oração é indispensável pedir a Deus perdão pelos pecados e ajuda para superar as faltas. Às vezes, o pedido é evocado pela ameaça de algum perigo, alguma necessidade, etc. O pedido é inevitável devido a nossa fraqueza e agrada ao Senhor (Mateus 7:7, João 16:23). Contudo, se a oração têm predominantemente um só caráter de pedido e se a voz de louvor e de agradecimento praticamente não é ouvida, isso indica que o nosso nível de progresso, espiritual e moral está bem baixo.
Os diferentes tipos de oração, frequentemente se juntam entre si. Eis o grande desafio de cada um de nós, pois quanto mais orarmos, mais de Deus conheceremos e mais ainda nossa alma poderá respirar naturalmente.
Rev. Luiz Augusto (adaptado de Alexandre Mileant)

Nenhum comentário: