quinta-feira, 18 de setembro de 2008

AMOR, HERESIA E MISSÃO

Não gerar amor, conhecendo, é como o ensino dos fariseus que certamente, não precederão as prostitutas nos reino de Deus. Jesus não está falando aqui de prostitutas convertidas. Note bem (rs).
A heresia é a fonte de todos os males. Não digo heresia do ponto de vista da teologia natural. O que é certo e o que é errado. A heresia está instalada há muito tempo, desde os apóstolos. Por isso eles eram rígidos quanto a isso.
Se o ensino (empírico) não existe, então tal ensino é heresia diante de Deus. Tudo que não vem de experiência com o transcendente não passa de falácia. O amor então passa a ser um amor falsificado, camuflado, travestido de piedade, diabólico e terreno.
O cristianismo ocidental é um tatear Deus no escuro. É a própria malignidade na pessoa do demônio. Muitas palavras, muito estudo, muita conjectura, muita vaidade, muita arrogância, muito proselistismo, muito atisvismo. Essas características são evidência de heresia. Por que quanto menos tempo para conhecer a Deus mais perto do demonio estamos, mesmo com todas as justificativas da missão. "Se tudo é missão, nada é missão". Stephen Neill.

Um comentário:

Ide e pregai o evangelho a toda criatura!!! disse...

Eu posso compreender muito bem o que diz este texto, principalmente em suas palavras finais. Está mesmo na hora de acabar com tanta fantasia, tanta falsidade, de tanto pluralismo, ou será que Deus não é o mesmo que ainda sonda os corações? (Rsrsrsrsrs).Ainda bem que Ele é o mesmo.