quarta-feira, 28 de maio de 2008

TEOLOGIA DA PROSPERIDADE, O ENSINO DIABÓLICO DENTRO DA IGREJA

A sensibilidade dos cristãos, a cada dia diminui. Basta pensar na rigidez e na austeridade com que os apóstolos tratavam o assim chamado "ensino de demônios". Tal atitude não era de complacência e sim de dureza. Esse ensino se dissiminava nas comunidades cristãs do primeiro século como o gnosticismo e o movimento judaizante, mas que hoje se transparece mais nitidamente por meio da confissão positiva e da prosperidade. Os cristãos, especialmente os líderes religiosos acabam sendo muito complacentes com este ensino que mesmo nas comunidades de denominações conhecidas por históricas, vai entrando sorrateiramente e sendo acolhido pela grande maioria de cristãos, até mesmo sinceros.

Digo sem dúvida que Satanás tem feito um grande estrago nos meios evangélicos e a mensagem que deveria ser ressoada dos púlpitos sobre o evangelho do sofrimento e suas demandas para com o Reino de Deus, está sendo mudado pela mensagem de auto-ajuda e da prospoeridade. Logo assim, não é o evangelho de Cristo, o Senhor, que se fez pobre e obedeceu ao Pai pelas circunstâncias do sofrimento que está sendo pregado, mas sim o ensino de demônios que dominicalmente os "pregadores" tem sido instrumentos de Satanás para tal feito.

É impossível ser complacente com um ensino demoníaco. É necessário extirpá-lo pois é um câncer que vai corroendo não somente a alma, mas sobretudo a natureza da igreja de Cristo. Porque não fazer frente a isso? É obvio, para lutar contra este conceito, será necessário pregar contra o consumismo que é a filosofia de vida do ocidente que se torna o lastro deste. E se o consumismo é assim, como extirpá-lo, se a própria mensagem da igreja de hoje é o consumo da fé e da egolatria de seus próprios líderes?

Mas vale a pena ouvir as Escrituras:

Tiago 5.10: Irmãos, tomai como exemplo de sofrimento e paciência os profetas que falaram em nome do Senhor.

2Co 6:1-10: E nós, cooperando com ele, também vos exortamos a que não recebais a graça de Deus em vão; (porque diz: No tempo aceitável te escutei e no dia da salvação te socorri; eis aqui agora o tempo aceitável, eis aqui agora o dia da salvação); não dando nós nenhum motivo de escândalo em coisa alguma, para que o nosso ministério não seja censurado; antes em tudo recomendando-nos como ministros de Deus; em muita perseverança, em aflições, em necessidades, em angústias, em açoites, em prisões, em tumultos, em trabalhos, em vigílias, em jejuns, na pureza, na ciência, na longanimidade, na bondade, no Espírito Santo, no amor não fingido, na palavra da verdade, no poder de Deus, pelas armas da justiça à direita e à esquerda, por honra e por desonra, por má fama e por boa fama; como enganadores, porém verdadeiros; como desconhecidos, porém bem conhecidos; como quem morre, e eis que vivemos; como castigados, porém não mortos; como entristecidos, mas sempre nos alegrando; como pobres, mas enriquecendo a muitos; como nada tendo, mas possuindo tudo.

Kyrie eleison.

Nenhum comentário: